A vida não está fácil para a Saab. Negociada pela GM em 2010, a quem pertencia desde 1990, a montadora sueca acabou repassada à holandesa Spyker, que prometeu recuperar a empresa. No entanto, o plano não vem dando certo. Entre paralizações na fábrica por falta de pagamentos a fornecedores, o risco de falência voltou a bater na porta da sede em Linköping.

Eis que os chineses surgem novamente para salvar mais uma fabricante de automóveis da Suécia – a Geely já comprou a Volvo Cars do Grupo Ford em 2010. A nova parceria da Saab é a Pangda Automobile Trade Co Ltd, a maior distribuidora de veículos da China. Segundo aponta a agência Automotive News, a empresa oriental injetará € 110 milhões na montadora com a aquisição de veículos para serem vendidos no mercado chinês. A Pangda também ficará com 24% das ações da Spyker por € 65 milhões.

Apesar do informe da Saab, a negociação ainda espera uma autorização do governo chinês para ser concluído. No início deste mês as autoridades do país barraram a transação de aquisição de parte da marca sueca pela Hawtai Motor Group Company Limited, que fabrica automóveis compactos e veículos comerciais leve na China.

Thiago Vinholes

|

Veja mais notícias da marca