De início pode parecer estranho, mas quando se lança um modelo novo a ideia é cobrar um pouco mais e vender apenas versões mais equipadas. A razão é aproveitar o aspecto de novidade do carro e testar o seu potencial de vendas. Se ele fizer sucesso, então se esquece das versões básicas – caso contrário, elas são lançadas mais adiante.

È o que aconteceu com o Linea, da Fiat. O sedã teve vendas razoáveis no início, além de custar tanto quanto um Civic ou Corolla. Como a montadora viu que ele não conseguiria tamanha façanha, pouco depois lançou versões mais simples e baixou seu preço.

A Peugeot segue o mesmo roteiro com o 207. A versão reestilizada do 206 foi lançada bem equipada – a mais simples já trazia ar, direção e trio elétrico – afinal o visual do carro remetia ao padrão premium. Meses depois, no entanto, o modelo ainda não voltou ao patamar que o 206 possuía. Com isso, a marca francesa acaba de lançar o 207 X-Line, a versão básica “guardada na gaveta”.

Com preços a partir de R$ 29 800 (2 portas) e R$ 31 600 (4 portas), ela vem apenas com desembaçador e limpador traseiro, ar quente, mas se resume a oferecer preparação para som, rodas de aço e manopla de câmbio em alumínio para conferir algum toque esportivo.

Apesar do pacote popular, o motor é 1.4 8V já que a Peugeot aboliu a motorização de mil cm3 há algum tempo. Além de melhorar as vendas – hoje em torno de 2 800 unidades – o 207 X-Line também facilitará a transição entre o 206 e ele – antes quem quisesse mais que a versão antiga do hatch teria de gastar R$ 6 mil para ter o 207. Agora só precisa de mais mil reais.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |