São apenas cinco carros no pequeno estande da Platinuss: dois Vorax, um Pagani Zonda R, um Koenigsegg CCXR e um Spyker C8. Mas é bem provável que a importadora tenha mais dinheiro estacionado ali do que muitas chinesas juntas. Trata-se do metro quadrado mais caro do Salão do Automóvel de 2010.

A principal estrela é o Rossin-Bertin Vorax, superesportivo de RG brasileiro que começa a ser produzido em 2012 numa escala inicial de 50 unidades ao ano. Seu motor é um BMW de 5 litros V10, de 570 cv na versão aspirada, ou 750 cv com sobrealimentação. Preço: R$ 700.000. O Vorax nasce da parceria de Natalino Bertin Jr., dono da Platinuss, e Fharys Rossin, ex-designer da GM e um dos responsáveis pelo novo Camaro. 

Já o Pagani Zonda R é mais exclusivo: das 10 unidades produzidas pela marca italiana, apenas uma foi destinada ao Brasil. Por R$ 10 milhões, seu dono tem que se contentar em pilotá-lo apenas em pistas, pois o superesportivo não é homologado para andar nas ruas. Em troca, vai se divertir com um motor Mercedes V12 de 7.3 litros de 750 cv, capaz de empurrar o modelo até os 100 km/h em apenas 2,7 segundos.

O preço do Pagani é alto? A Platinuss tem algo mais em conta pra você. É o Koenigsegg CCXR E100 Platinuss Special, vendido por R$ 6 milhões. Seu motor V8 biturbo de 4.7 litros gera 806 ou 1.100 cv – ou seja, o CCXR da Platinuss é flex. Com tantas estrelas milionárias, pagar R$ 990.000 pelo holandês Spyker C8 Aileron, com motor Audi de 406 cv, parece simples.

Somando o valor sugerido de cada modelo, chegamos à estratosférica soma de R$ 18.390.000.

Rodrigo Mora

|

Veja mais notícias da marca