Os carros da Land Rover se dividem em duas eras. A primeira foi quando a marca britânica se tornou famosa pelo mundo, com a capacidade de ter um ótimo desempenho fora de estrada e ainda uma dose de luxo e conforto digno dos mais caros sedãs de outras marcas. O desenho quadrado, com jeitão de tanque de guerra, sempre foi um dos signos mais fortes dos Land.

A segunda era começou com o Range Rover Evoque, lançado no Brasil em 2011. Mais urbano e com um design ousado, ele é tratado como uma referência para a marca desde então. Desta escola, inclusive da mesma plataforma, nasceu o Discovery Sport.

Minha mulher não quer o Evoque

Quando o Evoque chegou no Brasil, ele abriu as portas das lojas da Land para um público que possuia um sedã de luxo ou um esportivo que chamava a atenção no monótono trânsito urbano. Ele é o queridinho das celebridades e um símbolo de status. Vale lembrar que o SUV foi levemente retocado este mês.

O Discovery Sport é um pouco mais que isso. Mantém semelhanças com o Evoque por fora, mas por dentro tem muito mais espaço interno e um pegada mais familiar. Deu tão certo que já vendeu 1.603 unidades de março até outubro deste ano na versão com motor 2.0 turbo a gasolina, com 240 cv, câmbio automático de 9 marchas e tração integral, que parte de R$ 199,1 mil.

A turma da Inglaterra viu uma lacuna interessante no mercado brasileiro. Não existia no mercado um SUV premium com motor turbodiesel, apenas os grandalhões e não tão refinados assim Toyota SW4, Mitsubishi Pajero Full ou Chevrolet TrailBlazer. Sendo assim, os contêineres dos navios agora chegam com a linha 2016 e trazem a mais nova opção do Discovery Sport, o motor 2.2 turbodiesel de 190 cv e câmbio de 9 velocidades.
 

 
 
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
Land Rover Discovery Sport diesel Land Rover Discovery Sport diesel
 
 

Acima dos R$ 200 mil

As versões do Discovery Sport Diesel são as mesmas da variante a gasolina: SE, HSE e HSE Luxury, com preços de R$ 218,1 mil, R$ 242,7 mil e R$ 270,7 mil, respectivamente. De série, todos possuem ar-condicionado de duas zonas com saídas para o banco traseiro, bancos elétricos em couro, sistema multimídia, 7 air bags, partida por botão e sistema start-stop, piloto automático, freio de mão elétrico, faróis de xenon, câmera de ré, controles de tração e estabilidade e o Terrain Response, que vou falar lá na frente.

A versão HSE possui rodas de 19” (18” na SE), teto-solar panorâmico, sistema de navegação GPS, sensor de estacionamento dianteiro e sistema de som com 10 auto-falantes. A Luxury ainda possui som Meridian, de maior qualidade e bancos em couro Windsor com memórias. Como opcional, o Discovery Sport pode ter 7 lugares, por mais R$ 6 mil a R$ 8 mil, dependendo da versão.

Sujando os R$ 240 mil

A nossa missão era ir de São Paulo até Itatiaia, RJ, onde serão montados o próprio Discovery Sport e o Evoque a partir do ano que vem. Os cerca de 500 km poderiam ser feitos apenas por rodovias asfaltadas, mas aí fica sem graça, ainda mais para uma marca com tradição em fora de estrada.

No asfalto, o Land mostrou todo o seu conforto. O torque de 42,8 kgfm já aparece logo aos 1.750 rpm, o que se traduz em muita força em baixas rotações, não sendo necessário acelerar muito para ter saídas e retomadas vigorosas. Por dentro, silêncio e aplausos para o trabalho da suspensão, que é estável mesmo em velocidades mais altas e mantém todas as imperfeições do asfalto lá fora. As 9 marchas do câmbio automático mantém as rotações baixas mesmo em velocidades mais altas, como na estrada. O ponteiro fica entre os 1.000 rpm e 2.000 rpm até acima dos 120 km/h, o que ajuda o Dicovery Sport atingir um consumo na casa de 13 km/l. Além disso, esse conjunto mecânico moderno e eficiente até que ajuda a justificar o preço do SUV.

Quando chegamos próximo da tríplice fronteira entre São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, acabou a folga. Na serra, ainda no asfalto, já foi possível ver o Terrain Response distribuindo a tração nas quatro rodas para ajudar nas curvas. Este sistema foi desenvolvido pela própria Land Rover e atua nos sistemas de tração, câmbio, acelerador e injeção conforme a necessidade.

Na terra, o Discovery Sport quer seguir os caminhos dos Land Rover com DNA fora de estrada. Com o sistema ainda no modo automático, ele modificou as respostas do câmbio e acelerador para deixar tudo mais suave, para não patinar as rodas onde não possui tanta tração. Nas subidas, todo aquele torque que apareceu na estrada foi mais importante ainda. Enquanto cruzamos com diversos Fusca, historicamente um dos carros mais valentes, o Discovery fazia a mesma coisa ainda mantendo o charme e conforto. Ali já estavamos dentro do Parque Nacional do Itatiaia, o mais antigo do país, criado em 1937, e chegando pelo caminho mais difícil.

Em alguns momentos, foi possível testar até o modo Lama do Terrain Response, mas a grande questão é quantos proprietários utilizarão mesmo o Land Rover como nós usamos. Afinal, muitos só conhecem a selva de pedra e fazem rali no shopping e, no máximo, na enchente no fim de ano. A marca britânica quer tentar mudar isso!

Para quem, quando, como?

Segundo a Land Rover, o Discovery Sport com motor diesel é para quem roda muito, pega muita estrada, e quer a melhor relação de consumo e valor do combustível. Também serve para quem gosta de aventura e quer tecnologia é bordo aliado ao conforto e espaço interno. Sem esquecer que tem que ter grana. Com a fábrica quase pronta, a Land Rover já se prepara para montar o Evoque e o Discovery Sport por aqui no ano que vem, em Itatiaia. Mas fique tranquilo, pois os caminhões irão pela estrada asfaltada, não pelo caminho que fizemos para chegar até lá! Seu Land só verá a lama se você quiser.

Redação |