Mal chegou ao Brasil e o Bravo pode ver em breve sua próxima geração nascer bem diferente na Europa. Em entrevista à revista inglesa Autocar durante o Salão de Detroit, Sergio Marchionne, CEO da Fiat, disse que a continuação do modelo não será uma "cópia" dos concorrentes, e que a marca italiana adotará um tratamento mais "radical" no seu desenvolvimento.

"Substituir o Bravo com um produto copiado seria totalmente inapropriado", avisa Marchionnne. "Eu tenho observado várias versões para o futuro. Ainda não temos nenhuma conclusão, mas o que vamos lançar não será uma oferta tradicional", completa o chefão da Fiat.

Quando perguntado se a Fiat seguiria a estratégia da Nissan com o crossover Qashqai para abastecer o segmento C, Marchionne afirmou que a ideia da sua empresa é ir além: "no fundo, o Qashqai é um carro bem convencional". O executivo, no entanto, não revelou quando o próximo (ou substituto) do Bravo seria apresentado.

Rodrigo Mora

|