Um recall que inicialmente envolvia cerca de 150.000 veículos agora abrange 1,2 milhão de unidades da F-150, fabricadas entre 2004 e 2006.  Em fevereiro, a Ford alegava que apenas os exemplares produzidos no primeiro turno na fábrica de Norfolk, Virginia (EUA), eram afetados. No entanto, a NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration, entidade que fiscaliza a segurança viária no país norte-americano) registrou 238 acidentes, com 77 feridos.

O problema dos carros chamados para recall está no airbag do motorista, que pode abrir acidentalmente. Segundo a NHTSA, o defeito é causado por um curto circuito em decorrência do contato da placa da buzina com os fios do disparador do airbag. A Ford descarta a possibilidade de o recall afetar o Brasil, já que a picape não é comercializada por aqui oficialmente. Mas, como algumas unidades podem ter sido trazidas por importadores independentes, é prudente checar o sistema.

Rodrigo Mora

|