Eis a nova proposta para o segmento de modelos de entrada da Renault. O novo Kwid foi apresentado pela montadora francesa na última quinta-feira, 21, em Chennai, na Índia, e deve marcar presença em diversos mercados do mundo – o que inclui o Brasil, para ocupar o lugar do ultrapssado Clio

Usando o mesmo nome de um protótipo apresentado pela marca durante o Salão de São Paulo do ano passado, o novo Renault Kwid tem jeitão de utilitário-esportivo. O modelo apresenta para-choques com desenho mais robusto, faróis e lanternas escurecidos, caixas de roda quadradas com moldura em plástico e detalhe na base das portas, também em plástico.

O novo hatch mede 3,68 metros de comprimento e 1,58 m de largura (para efeito de comparação, o atual Clio conta com 3,81 m e 1,64 m, respectivamente). A plataforma que equipa o modelo é a modular Common Module Family (CMF), desenvolvida pela aliança Renault-Nissan para reduzir os custos de produção em 40 por cento até meados de 2020.

No interior, por se tratar de um carro de baixo custo, o Kwid apela para a simplicidade. Nada de apliques em tecido nas portas. O material que predomina a cabine é o plástico. Até mesmo o painel de instrumentos é simples, apenas com velocidade, hodômetro e marcador de combustível digitais, além de luzes espias. Apesar disso, o automóvel conta com sistema multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas.

O novo Renault Kwid é equipado com um motor de 0.8 litro e transmissão manual de cinco marchas e a chegada do modelo está prevista para o segundo semestre de 2015 na Índia, com preços entre 3 lakhs e 4 lakhs (cerca de R$ 14,3 mil e R$ 19 mil). 

Caso o Kwid seja lançado no Brasil, a Renault deixará de oferecer automóveis de origem francesa, já que o atual trio Sandero, Logan e Duster são de origem romena (Dacia), e o sedã médio Fluence é um projeto sul-coreano (Samsung).

Aposta nos populares de verdade

Caso confirme a produção do Kwid no Brasil, a Renault apostará num segmento que se esvaziou nos últimos anos, o de populares baratos. Hoje o mercado é dominado pelos compactos mais equipados e que custam acima de R$ 35 mil. Os poucos modelos que restam no segmento de entrada são antigos como o Celta e o próprio Clio.

 
 
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
Renault Kwid Renault Kwid
 
 
Redação

Redação |