Se muitas marcas no Brasil ainda não têm um SUV pequeno em seus portfólios, que dirá dois. Pois é o que a Renault deve conseguir em 2016. A montadora estaria prestes a iniciar a produção nacional do Captur, um ‘crossover’ de visual moderno e elegante, diz o site Argentina Autoblog, que não costuma errar em suas afirmações.

Sim, a Renault, que já atua no segmento com o Duster e agora tem também uma versão picape desse SUV, a Oroch acabando de chegar à rede. Mas a pergunta que não quer calar é “para que mais um jipinho?”.

A resposta é bastante lógica: o Duster, em que pese o porte de SUV médio e bom momento de vendas (pode até superar o EcoSport este ano), não é páreo para os principais modelos do segmento hoje, o Honda HR-V e o Jeep Renegade.

Esses dois carros, os mais importantes lançamentos de 2015, já andam emplacando quase 6 mil unidades por mês, mesmo custando acima de R$ 80 mil (mas cujo grosso das vendas está num patamar ainda mais alto).

Ou seja, essa ‘banda A’ dos jipinhos é muito mais apetitosa que a banda B, onde figuram o Eco e o Duster. Este último não tem a sofisticação e o design para atrair esse público exigente e que busca itens mais sofisticados.

Câmbio Dualogic do 500 Abarth não tem alavanca
Autoo

Com mais itens de série e interior mais sofisticado, Captur custará mais que o Duster

Solução local

Portanto, o Captur, cujo visual se equipara ao do HR-V e do Peugeot 2008, pode ocupar esse nicho acima do Duster (embora com versões com preços semelhantes em alguns casos). Na Europa, o Captur foi bem recebido, mas lá ele deriva do Clio IV, cuja plataforma é bastante moderna e mais cara.

Aqui, a situação é outra e foi isso que fez a Renault demorar a decidir pela sua fabricação. O Captur brasileiro, que deve ser montado no Paraná, usará a mesma plataforma do Duster, em outras palavras, motores, transmissões, suspensão e alguns equipamentos. A ‘casca’ do Captur encaixará nessa mecânica mais em conta e que já está absorvida pela fábrica brasileira.

A diferença é que o novo SUV receberá um tratamento mais apurado no acabamento, com detalhes mais esmerados para justificar o preço mais alto. Por outro lado, esqueçam tração 4x4, por exemplo – o Captur é um carro para uso urbano.

 
 
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
Renault Captur Renault Captur
A Renault ainda nega, mas o crossover deve chegar entre o final de 2014 e 2015. Ele ficará acima do Duster e será mais urbano e sofisticado que seu irmão de plataforma A Renault ainda nega, mas o crossover deve chegar entre o final de 2014 e 2015. Ele ficará acima do Duster e será mais urbano e sofisticado que seu irmão de plataforma
 
 

Parte da evolução necessária para produzi-lo já está disponível com o Sandero R.S, versão esportiva que aderiu à direção elétrica e aos freios a disco nas quatro rodas – itens que devem ser incorporados ao novo carro.

Segundo o site argentino, o Captur brasileiro começará a ser produzido no final deste ano e chegará às concessionárias no começo de 2016. Se a informação for confirmada pela Renault, não deixa de ser uma estratégia ousada e merecedora de elogios num mercado que vive numa fase ruim.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |