Presente no evento de lançamento do motor Ford 1.5 TiVCT, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, antecipou alguns pontos interessantes que prometem balizar o Rota 2030, próximo regime automotivo brasileiro que entrará em vigor em janeiro de 2018.

Segundo Pereira, uma das prerrogativas que será abordada pelos seis grupos de discussão em torno do Rota 2030, sendo três deles técnicos e outros três envolvendo análise de custos, diz respeito ao incentivo a veículos analisando sobretudo a eficiência que cada um deles entrega. “Uma das estratégias do Rota 2030 é levar em consideração não o tipo de carro e o tamanho do motor, mas o que ele entrega em termos de eficiência, ou seja, o menor consumo e nível de emissões possível. Eficiência será o balizador”, revelou o ministro quando questionado pelo AUTOO.

Com isso, o governo deverá abrir o caminho para uma maior participação de modelos híbridos e elétricos no país. Também poderá entrar na pauta de discussões algum tipo de incentivo, financeiro ou tributário, para veículos de baixas ou zero emissões, semelhante ao que ocorre nos países de primeiro mundo para ajudar na difusão da tecnologia. Uma das premissas do regime automotivo sob o governo Temer será incentivar a integração competitiva do Brasil com o resto do mundo e investir em novas tecnologias de produção.

“Nossa meta com o Rota 2030 será melhorar a produtividade e melhorar o ambiente competitivo para as empresas do setor. Também queremos colocar o Brasil de uma forma mais sintonizada com a cadeia produtiva global”, acrescenta o ministro. Atualmente vários setores, como a Anfavea, Sindipeças, importadores e outros ministérios estão reunidos para a elaboração do projeto final. Um rascunho com as primeiras medidas deverá ser divulgado ainda neste mês, sendo que o projeto Rota 2030 está previsto para ser lançado por volta de outubro deste ano.

Outro ponto destacado pelo ministro é a segurança e a estabilidade que um plano como o Rota 2030 oferecerá para as fabricantes e empresas do setor automotivo. “Geralmente os regimes automotivos são feitos para um prazo de cinco anos. Com o Rota 2030 conseguiremos oferecer diretrizes por um período de tempo bem maior, o equivalente a quase três ciclos. Pensamos o Rota 2030 como uma política de estado e não de governo, oferecendo mais previsibilidade para o setor”, explicou Pereira.

Legado do Inovar-Auto e acordos externos

Durante a entrevista rápida com o AUTOO, o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior também fez um breve balanço do Inovar-Auto, política que encerra neste ano.

De acordo com Pereira, “o Inovar-Auto produziu resultados significativos”, destacando, por exemplo, as mais de 100 iniciativas de inovação no setor automotivo lançadas pela fabricantes que se inscreveram no programa. Mesmo assim, o ministro admitiu alguns pontos problemáticos da política, como a sobretaxa para importados que gerou uma condenação do país pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

No campo da política externa, o ministro Marcos Pereira acrescentou que trabalha em um plano de convergência regulatória com a Argentina para unificar alguns pontos comuns entre os automóveis nos dois países, facilitando a integração regional. Além disso, o ministro adiantou que dentro de três a quatro meses será formalizado um acordo que facilita a exportação de carros produzidos no Brasil para a Colômbia.

 
 
Marcos Pereira, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
 
Marcos Pereira, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
Marcos Pereira, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
Ministro Marcos Pereira durante o anúncio do Rota 2030 em abril deste ano
 
Ministro Marcos Pereira durante o anúncio do Rota 2030 em abril deste ano
Ministro Marcos Pereira durante o anúncio do Rota 2030 em abril deste ano
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/