O mercado mundial está cada vez estratificado. Se num passado não muito distante tínhamos categorias mais claramente divididas, hoje elas contam com uma série de subdivisões: utilitários esportivos compactos, cupê de quatro portas, veículo de atividade esportiva, etc.. E o Brasil não está à margem dessa tendência. Um nicho que começa a ganhar mais representantes por aqui é o de sedãs compactos premium, que se encaixam entre os compactos e os médios.

Quem começou essa história foi o Honda City, no ano passado. O sucesso foi tão grande que o modelo de ascendência japonesa começou a roubar vendas do irmão maior, o Civic. Seu apelo é o preço mais em conta, embora o de algumas versões esbarra no do sedã do andar de cima. Não há o refinamento mecânico do Civic, mas a lista de equipamentos é semelhante, seu dono tem relativo status e, de quebra, o porta-malas é maior – 504 contra 340 litros.

New Fiesta promete sacudir categoria

A Ford enxergou o potencial do segmento e trará ao Brasil até o fim do mês o New Fiesta. Com preço a partir de R$ 49.900, segue a receita do City: dimensões maiores do que as do Fiesta Sedan nacional, lista de equipamentos mais extensa e soluções tecnológicas próximas às do Focus. Entram nessa briga – mais por conta do preço do que pelo seu tamanho em si – Kia Cerato (R$ 49.900) e Nissan Tiida Sedan (R$ 44.500). O City, o mais caro da turma, parte de R$ 57.420.

A quantidade maior de “degraus” entre uma categoria e outra é bem-vinda, já que aquele cliente que se vê insatisfeito com seu sedã compacto não precisa dar um salto tão grande para um médio. Das montadoras citadas acima, a Ford é a única que oferece a gama completa no segmento. O Fiesta Sedan parte de R$ 34.050 na versão básica, com motor de 1 litro. Se o cliente que precisa de um sedã maior quiser continuar na marca, sua opção mais próxima era o Focus Sedan, por R$ 61.620, quase o dobro do preço. Com a chegada do New Fiesta, essa diferença é drasticamente encurtada – do Fiesta de entrada para o New Fiesta de entrada, o investimento é de R$ 15.000.

E a briga deve aumentar com a chegada de novos players. A Volks pode entrar na disputa com a nova geração do Polo Sedan, enquanto a Nissan deve ter um três volumes do March, compacto que estreará no mercado nacional em 2011. Caros para um sedã inferior a um médio ou baratos por oferecem bem mais que um compacto? Seja como for, sai ganhando o consumidor, que fica cada vez cercado de opções na hora de escolher seu próximo sedã.

Rodrigo Mora

|