Se fosse uma corrida de cavalos, a Lifan seria o famoso ‘azarão’. Quem apostaria numa marcha chinesa cujo modelo mais conhecido era um clone bem rudimentar do Mini Cooper? Quando chegou, em 2010, a fabricante participou do Salão do Automóvel com um sósia do personagem Mr. Bean ao lado do 320, o tal ‘Mini’ chinês.

Nem por isso as vendas decolaram e a fase em que foi representada pelo grupo uruguaio Effa foi tão ruim que a matriz decidiu assumir a missão de impedir um desastre no país. Agora, três anos após a mudança de bastão, a montadora comemora um feito: vendeu mais que suas rivais chinesas, a Chery e a JAC.

Foram 450 unidades emplacadas em novembro contra 350 da Chery e 288 carros da JAC. No acumulado do ano, a marca segue atrás delas, mas comemora o fato de ter crescido 1,4% num mercado em franca queda.

O fato é ainda mais relevante se levarmos em conta que a Lifan nunca chegou a anunciar planos ambiciosos no Brasil como suas conterrâneas. A marca até disse em algumas ocasiões que tem interesse numa linha nacional, mas por ora monta alguns modelos no Uruguai.

Linha renovada

O principal responsável pela virada chama-se X60. O SUV compacto chegou ao Brasil em 2013 e deste então responde pelo grosso das vendas. Após ele, a Lifan lançou também um utilitário, o Foison, e um sedã compacto, 530. Em 2016, a expectativa é passar a importar o X50, um aventureiro de linhas atraentes. Quanto ao ‘Mini Cooper’ chinês? Somente em reprises em lojas de usados, assim como o programa de Mr. Bean.

 
 
O caminhãozinho chinês Foison parte de R$ 34.990 O caminhãozinho chinês Foison parte de R$ 34.990
Lifan 530 Lifan 530
Lifan X60 2016 Lifan X60 2016
 
 
Redação

Redação |