No Salão do Automóvel de 2008, a Ford provocou os visitantes do seu estande com um exemplar do Shelby Mustang GT500 King of the Road, um esportivo limitado em 1 000 unidades, de 548 cv. Mas os muscle car estava ali de enfeite: mesmo antes de alguém perguntar, a Ford já dizia que trazer o Mustang para o Brasil, seja qual fosse o modelo, estava fora dos seus planos – para a tristeza de todos, potenciais clientes ou não.

E se você perguntar à Ford hoje, o discurso é o mesmo. Mesmo com a Chevrolet trazendo o Camaro e a Chrysler preparando a chegada dos Dodge Charger e Challenger? Mesmo assim. Pena, porque a cada 20 Mustang vendidos por importação independente, vende-se 10 Camaro e 2 Challenger. Quem nos revela é Fabio Souza, da Forest Trade (ela própria uma importadora independente de veículos), que vai abrir no Brasil a primeira loja da lendária Shelby. Cravada na avenida Europa, o endereço paulistano mais indicado para quem busca carros especiais, a loja agora passa por reformas, mas tem sua inauguração prevista para o final de agosto.

Segundo Souza, estarão lá todos os modelos da Shelby, que cria exemplares customizados do Mustang. A lista começa com um CS6, que guarda sob o capô um motor 3.7 litros V6 de 305 cv, saindo por R$ 140 000 – nada mau, considerando que um Honda Civic Si, de esportividade inquestionável, mas sem a tradição de um Mustang, tem preço tabelado em R$ 103 650. O Shelby mais cara à venda será o GT500 Super Snake, por R$ 500 000. Motor 5.4 V8, de 750 cv. Os carros terão garantia de dois anos e a manutenção será feita pela Shelby, em oficina própria, promete Souza.

A Ford assistirá de camarote a venda de Camaro, Challenger, Charger e Shelby Mustang, agora “oficializados”. Quem sabe no Salão do Automóvel deste ano ela muda de idéia.

Rodrigo Mora

|