Os norte-americanos realmente têm mais sorte que nós. Além de ganharem a nova versão do Fiesta, que por aqui deve chegar somente em 2012, depois de uma reestilização do modelo atual, o motor que equipará o hatch deles é o mesmo Sigma que vem no nosso Focus 1.6 litro, só que 5 cavalos mais potente. Isso porque o Sigma produzido em Taubaté (SP) e exportado para os EUA conta com duplo comando de válvulas independente, chamado de Ti-VCT. No Focus 1.6 Flex nacional, lançado no final do ano passado, o Sigma tem comando simples de válvulas e 115 cavalos de potência, o que gerou certa decepção.
 
A Ford alega que o Sigma que abastece o Brasil não conta com comando duplo porque o mercado nacional não exige tal tecnologia e potência superior. Os custos mais altos seriam o segundo motivo. O Complexo Industrial de Taubaté recebeu R$600 milhões em investimentos para aumentar sua capacidade de produção, que fornece motores para as Américas do Sul e do Norte. Exportar motores nacionais não é novidade para a Ford: de 1974 até 1990, a fábrica de Taubaté exportou mais de 1,5 milhão de blocos 2 e 2.3 litros, que equiparam Mustang, Ranger e Thunderbird.
Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/