Não é a primeira vez que as montadoras pagam micos na hora da apresentação (divulgação) de um produto ao mundo. Quando foi lançado na Europa, em 1997, o Mercedes-Benz Classe A capotou durante os testes de estabilidade em slalom. Na época, acharam um erro de cálculo que os engenheiros não haviam notado nas simulações.

Desta vez o mico é da Volvo, e pior, pela segunda vez.  A primeira falha do sistema de anti-colisão ocorreu com o S60 em maio de 2010. A apresentação aconteceu dentro da fábrica sueca. Ontem, os jornalistas automotivos australianos estavam conhecendo a veracidade do sistema anti-colisão do V60. Na hora da largada, o V60 ao invés de bater contra a traseira do caminhão, a perua acabou passando por cima do boneco de crash-test.  
 
Segundo a Volvo, o sistema não acionou porque um trailer no lugar estava atrapalhando a recepção dos radares que reconhecem o caminho e o obstáculo à frente. Mas a história não parou por aí. Mesmo arrancando a “interferência”, o anti-colisão cochilou outras duas vezes. Para se esquivar do segundo e do terceiro equivoco, a montadora culpou o fato de o boneco estar parado. Com isso, os radares não o encararam como uma pessoa.

O sistema da Volvo avisa por meio sonoro ao motorista sobre algo à frente. Se o condutor não utilizar o pedal do freio, o automóvel “estanca” a velocidades por si só.

 

Redação

|