A Peugeot foi rápida em perceber que o mercado brasileiro só iria querer os SUVs compactos de uns anos para cá. Em vez de apostar na dobradinha tradicional hatch+sedã a marca preferiu investir num SUV compacto ou, como ela prefere dizer, crossover, o 2008.

Irmão do hatch 208 lançado no Brasil em 2013, o 2008 logo chegou por aqui também e com a vantagem de ser produzido em Porto Real, RJ. O design foi bem pensado, a proposta mais urbana pareceu racional e o custo-benefício, muito bom. Mas faltava dar a ele uma cara mais ‘off-road’, coisa que até o Onix Activ e o Ka Trail têm.

Daí nasceu a série limitada Crossway, lançada em 2016, mas que segue em linha este ano. Pois bem, ela mudou um pouco o estilo mais comportado do 2008 ao introduzir rodas de liga leve pintadas de preto, ganhar adesivos ‘aventureiros’ e muito cromado, incluindo a capa que recobre os retrovisores externos.

Mas a graça do 2008 Crossway está no interior, que incorpora o que de melhor o SUV tem. Estão lá o teto solar panorâmico, o ar-condicionado digital de duas zonas, a bela e funcional central multimídia e até borboletas atrás do volante, entre outros itens menores.

Tudo isso por R$ 85.490 em valores de abril de 2017. É um preço atraente se você pensar que outros rivais do mesmo porte custam mais ou oferecem menos pelo mesmo preço. Pegue-se o Creta Pulse 1.6, por exemplo.

O modelo da Hyundai, que está em alta no mercado, custa praticamente o mesmo (R$ 85.290), mas traz ar-condicionado simples, não tem teto solar, apenas dois airbags (o 2008 tem quatro) e nada de central multimídia ou teto solar. Em compensação vem equipado com rodas aro 17 (em vez de 16) e possui controle de tração e estabilidade, item que a Peugeot só inclui na versão THP.

Se isso lhe convenceu então é melhor saber que você andará num carro baixo (11 cm menor que o Renegade) e menos espaçoso – só o porta-malas leva 80 litros a menos que o Kicks. Ainda está disposto a levar o Peugeot? Resta lhe informar que é no conjunto mecânico que o 2008 deixa a desejar.

Equipado com o motor 1.6 16V aspirado que entrega 122 cv com etanol, o 2008 Crossway usa a manjada transmissão automática de quatro marchas que convive com os carros da marca há anos.

Além de não lidar bem com o torque relativamente limitado do motor, ela não ajuda na economia: o 2008 bebe bastante pelo que anda – são 7,4 km/l (etanol) e 11 km/l (gasolina) na cidade e 8,6 km/l (etanol) e 12,2 km/l (gasolina) na estrada, segundo o Inmetro.

Na prática, conseguimos cerca de 7 km/l em circuito misto e pouco mais de 5 km/l na cidade em uma tocada tranquila.

 
 
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
Peugeot 2008 2017
Peugeot 2008 2017
 
 

Modo opcional

O 2008 anda melhor com a opção Eco ativada: os trancos e marchas esticadas em excesso desaparecem mas não é possível defini-la como padrão. A toda hora que você dá a partida é preciso apertar o botão.

Tudo isso é uma pena porque o 2008, assim como o 208, é um carro bom de dirigir. A direção elétrica com volante diminuto é bastante ágil e precisa, o i-cockpit, painel elevado acima do volante, é ótimo e a suspensão, embora muito firme, não chega a causar desconforto.

Os mimos são outro ponto alto: a central multimídia com navegador é prática – embora ela não tenha reconhecido um iPhone conectado no CarPlay – e ter ar de duas zonas e um teto solar tão grande também enchem os olhos.

Mesmo a posição de dirigir baixa pode agradar a quem é fã de peruas. Você está um pouco mais alto, mas não como em alguns concorrentes. Ou seja, o 2008 merece uma dupla melhor, seja um motor um pouco mais eficiente, mas principalmente um câmbio automático mais moderno – ela tem uma transmissão de seis marchas no portfólio, mas que não pôde ser instalada no modelo.

Quem sabe uma linha 2018 do 2008 (perdão pelo trocadilho) possa corrigir essas deficiências que incluem ainda a ausência do controle de estabilidade. Com alguns ajustes, o SUV (ou crossover) poderia vender bem mais que os 800 a 900 carros que emplaca todos os meses.

Ficha técnica

Peugeot 2008 2017 Crossway 1.6 16V flex automático 4p
Preço R$ 85.490 (03/2017)
Categoria SUV compacto
Vendas em 2017 2.377 unidades
Motor 4 cilindros, 1587 cm³
Potência 115 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 15,5 kgfm a 4000 rpm
Dimensões Comprimento 4,159 m, largura 1,739 m, altura 1,583 m, entreeixos 2,542 m
Peso em ordem de marcha 1236 kg
Tanque de combustível 55 litros
Porta-malas 355 litros
Veja ficha completa

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |