A sensação de insegurança no Brasil e os números crescentes da violência urbana levam muitas pessoas a tomarem uma medida drástica: blindar seus automóveis. A procura por esse tipo de serviço vem crescendo tal qual o ritmo da criminalidade e um carro à prova de balas dá as pessoas uma chance de reação, que em veículos sem proteção pode ser mal sucedidada e no pior dos casos até mortal.

A procura por carros blindados vem batendo recordes a quatro anos consecutivos, segundo balanço da Abrablin, associação que reúne cerca de 70% das empresas blindadoras no País, e o número deve continuar aumentanto – a entidade ainda não divulgou os números de 2014, mas é previsto um aumento na casa dos 5% referente ao desempenho do ano passado comparado a 2013, quando 10.156 carros receberam a proteção .

No entanto, como se sabe, o preço que se paga pela proteção é praticamente o mesmo valor de um automóvel zero km. Um carro pequeno, como uma picape compacta (o mais comum quando se busca uma blindagem eficiente de custo relativamente baixo) fica em torno de R$ 37 mil, enquanto a proteção para um sedã saí por R$ 50 mil e para um SUV pode superar os R$ 60 mil. “Apesar do valores, a blindagem para automóveis não sofreu reajustes nesse tempo, o que vem aumentanto a procura ano após ano”, explicou ao iG Fabio Rovedo, ex-presidente da Abrablin.

O nível máximo de blindagem permitido para usuários civis atualmente é o III A, que resiste a disparos de revólveres convencionais, como calibre 38 e 9 mm, e até metralhadoras de baixo calibre, como a Uzi. Proteções mais resistes, como o nível III que resiste a balas de fuzil, requerem uma autorização especial do exército brasileiro.

A blindagem III acrescenta ao carro vidros temperados com 20 mm de espessura, além de proteções para o habitáculo, que as empresas do ramo chamam de “blindagem opaca”. Essa proteção consiste em malhas de aramida (são usadas até 9 camadas), que ficam escondidas principalmente nos forros das portas e na traseira do veículo, especialmente em SUVs, que possuem a tampa do porta-malas mais avantajada. O pacote também inclui pneus especiais, que podem continuar rodando mesmo após receber disparos de armas de fogo – o mais comum é o runflat, mas também há opções com cintas de aço ou borracha reforçada.

Blindar o carro é um processo delicado e exige perícia e tempo para ser realizado. O processo leva de 20 a 40 dias, dependendo das características do carro. Quanto maior for o veículo, mais complexa é a blindagem.

 
 
Processo de blindagem dos automóveis Processo de blindagem dos automóveis
A blindagem para um sedã custa cerca de R$ 50 mil A blindagem para um sedã custa cerca de R$ 50 mil
O vidro blindado mais comum tem cerca de 20 mm de espessura O vidro blindado mais comum tem cerca de 20 mm de espessura
A blindagem opaca, com malhas de aramida, fica escondida por todo o carro A blindagem opaca, com malhas de aramida, fica escondida por todo o carro
 
 

Confira abaixo o que você precisa saber antes de blindar seu carro:

1 – A blindagem resiste a dois disparos ou mais no mesmo ponto?

Segundo a Abrablin, a blindagem nível III A pode sim receber dois disparos ou até mais no mesmo ponto. No entanto, atingir o mesmo ponto mais de uma vez é algo raro de acontecer, sobretudo com o veículo em movimento. É preciso ter uma pontaria excepcional.

2 – A blindagem reduz a vida útil do carro?

A blindagem nível III A acrescenta ao carro cerca de 180 kg ( a nível III pode passar de 900 kg). Portanto, é como se o usuário utilizasse o carro sempre com o porta-malas cheio, o que sobrecarrega a suspensão, freios, motor e câmbio, mesmo seguindo a manunteção preventiva do fabricante. Além disso, com mais peso o consumo de combustível também aumenta.

3 – A blindagem requer manutenção?

Os vidros de alta resistência são compostos de diversas camadas de materiais diferentes e com o tempo essas lâminas podem se deslocar, processo que é notado com o surgimento de bolhas, deixando o vidro com um aspecto embaçado. Isso pode acontecer devido a reações da composição do produto ou pelas condições de uso. Um carro blindado que enfrenta, por exemplo, trechos acidentados tendem a apresentar esse defeito com maior frequencia. Essa mesma condição também pode causar deslocamentos na blindagem opaca, que dependendo do estado pode perder a resistência balística. Em ambos os casos, somente empresas blindadoras podem solucionar o defeito e buscar alternativas mais baratas podem comprometer a proteção.

4 – Carros populares podem ser blindados?

Qualquer automóvel pode ser blindado, mas é preciso avaliar a eficiência e viabilidade do projeto tanto financeiramente quanto tecnicamente. Para cada carro há um esquema específico de blindagem e dependendo do modelo o desenvolvimento pode ser mais caro, mesmo para um veículo popular.

5 – Que tipo de carro não é indicado para blindagem?

Não são indicados para blindagem veículos que após um estudo técnico a sua relação peso/potência excedam certos parâmetros. Um veículo cujo o peso da blindagem exceda em 15% o peso original do veículo já sinaliza que o mesmo não é indicado para receber a blindagem. Carros com muita área envidraçada também são mais complexos para blindar, especialmente modelos com parabrisas panorâmicos.

6 - A blindagem oferecida a civis no Brasil suporta explosões?

Não existe uma resposta final para esta pergunta. Dado a impossibilidade de se quantificar a energia liberada e também porque se desconhece uma norma especifica para isto. No entanto, para tal é indicado blindar o assoalho, que poderia proteger os ocupantes no caso de uma explosão deflagrada por baixo do carro.

7 – Existe alguma alternativa de baixo custo para proteger o carro?

Existem no mercado películas que ao serem aplicadas no vidro aumentam sua resistência contra golpes com objetos, no entanto essa solução não é eficiente contra armas de fogo.

8 – Quais cuidados deve-se ter ao comprar um carro blindado usado?

Geralmente, carros blindados usados são oferecidos com preços sedutores. Um VW Touareg usado e blindado pode ser encontrado por cerca de R$ 45 mil. Mas nesse caso, o barato pode sair caro e, sobretudo, perigoso. O veículo pode estar com os vidros e blindagem opaca comprometidos a ponto de exigir uma revisão completa da proteção. O indicado é apresentar o carro a um especialista antes de efetuar a compra.

9 – Um carro blindado pode ser arrombado?

Apesar da resistência a armas de fogo, um carro blindado pode sim ser arrombado usando ferramentas comuns, como varetas de aço e chaves de fenda usadas por ladrões. No entanto, empresas blindadoras garantem que o processo é mais complicado do que em carros convencionais devido aos reforços aplicados nas maçanetas.

10 – Que armas uma blindagem comum pode suportar e quais não pode?

A blindagem mais usada no Brasil, a nível III A, resiste as chamadas “armas de mão”, que são revolveres como o famoso calibre 38, 9 mm e Magnum .44, armas muitos usadas por bandidos. Essa blindagem também suporta disparos de metralhadoras leves e escopetas. Essa proteção, contudo, não resiste a balas de armas de cano longo, como fuzis e metralhadoras de grosso calibre. Para tal, é necessário no mínino a blindagem III, que requer uma autorização do exército brasileiro para ser instalada.

Thiago Vinholes

Thiago Vinholes |