Serviços como o car-share, ou o compartilhamento de veículos em bom português, ainda engatinham no Brasil. Apenas uma empresa decidiu implantar o serviço com carros próprios na cidade de São Paulo, mas que ainda não recebeu uma adesão muito grande devido a área restrita de atuação.

Por outro lado, começam a ganhar força inclusive por aqui as empresas especializadas na economia colaborativa ou economia compartilhada, como preferir. Isso significa dividir aquilo que não está usando ou fica a maior parte do tempo parado com outras pessoas, envolvendo um pagamento por isso ou não.

Mas o que isso tem a ver com o mundo dos carros? Pois é, se até então emprestar o seu carro era algo que ocorria só entre parentes ou amigos muito próximos, essa nova tendência global já está fazendo muita gente repensar seus valores.

A Ford realizou uma ampla pesquisa na Europa com 10.016 pessoas entre Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Espanha onde mostra que 55% do total aceitariam ceder seu carro por um período determinado de tempo em troca de um pagamento. Já 44% aceitariam dividir a casa com outra pessoa, 33% o seu celular e, pasmem, 17% dividiriam até seu cachorro!

Além disso, cerca de 77% dos participantes afirmaram que topariam dirigir para outras pessoas (Uber, etc.), enquanto a grande maioria gostaria de utilizar serviços compartilhados para se deslocar. Mais de 76% aceitariam dividir uma carona no táxi ou no carro, enquanto 72% dos donos de carros aceitariam oferecer caronas.

“As pessoas estão mais preparadas do que nunca para dividir suas posses e serviços. Do seu smartphone você consegue facilmente e de uma forma rápida executar isso. Quando isso chega até a mobilidade, seja no compartilhamento de carro, carona ou transporte de encomendas para terceiros, isso oferece flexibilidade e uma potencial alternativa mais econômica, além de ajudar a reduzir o trânsito”, analisa Will Farrelly, um dos envolvidos no Ford Smart Mobility, área da montadora especializada na integração da fabricante com soluções de mobilidade.

Ainda segundo a pesquisa, o público masculino e mais jovem é o que está mais disposto a abraçar a economia compartilhada. Mais de 61% dos homens, contra 49% das mulheres de dizem preparados para oferecer seus carros para serviços de compartilhamento. Já considerando os dois públicos, a faixa de 25 a 34 anos é que se mostra mais aberta a colocar disponibilizar seu automóvel com 68% do total dos entrevistados. 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |