A Volkswagen definiu quais motorizações usará nos Jettas europeu e norte-americano, e fica claro que o novo sedã usará propulsores já existentes nas prateleiras da marca. Nos EUA, o Jetta começa com um 2 litros a gasolina, de 115 cv, que segundo a montadora faz de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos, alcança os 193 km/h de velocidade máxima e garante consumo médio de 14,4 km/l. Um pouco mais potente é o atual 2.5 litros de 170 cv, o mesmo usado no Jetta que roda no Brasil, enquanto 2.0 TSI, com 200 cv, é o mais forte, acelerando até os 100 km/h em 6,7 segundos e esbarrando nos 209 km/h de máxima. Como o Jetta norte-americano será produzido no México, podemos esperar uma gama similar no Brasil – ainda mais que o 2.0 turbo já conhecido nosso, usado no Tiguan.

Já na Europa, há fartura maior. A grande novidade é o 1.2 TSI, de 105 cv e 17,8 kgfm de torque já às 1.500 rpm. Segundo a VW, o pequeno bloco faz 18,8 km/l, e nem por isso deixa o desempenho de lado: 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e 190 km/h de máxima. O 1.4 TSI deverá ser o mais procurado, com opção de 122 cv e 160 cv. Acoplado a ele pode vir um câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas. Quem preferir propulsão a diesel, contará com os blocos 1.6 e 2.0 TDI, de 105 cv e 140 cv, respectivamente.

Rodrigo Mora

|