Após muita discussão e idas e vindas, a fusão entre a Volkswagen e a Porsche parece ter chegado a um acordo definitivo. A Volks irá adquirir 42% da divisão de automóveis da Porsche por 3,3 bilhões de euros, como forma de tirá-la do prejuízo. No negócio está incluída também a aquisição da Porsche Holding Salzburgo, grupo de concessionárias que é o maior da Europa e que pertence à família.

E, dentro de dois anos, a VW fará a compra do restante da Porsche para criar o que vem sendo chamado de “nova Auto Union”, em referência ao nome que foi usado na época em que a Audi se uniu a outras marcas alemãs no século passado. Martin Winterkorn, atual CEO da Volks, já assumiu a presidência da Porsche na semana passada, dentro do processo de fusão das duas companhias.

E pensar que a união de VW e Porsche só tenha ocorrido devido à ousadia do ex-chefão da segunda, Wendelin Wiedeking, que em certo momento convenceu os acionistas da Porsche a se endividar para comprar parte da Volks e tentar assumi-la. Graças aos mais de 10 bilhões de euros dessa dívida, a VW pôde contra-atacar e assumir sua acionista.

Ricardo Meier

Ricardo Meier |