Um dos carros mais esperados e espionados nos últimos meses foi finalmente revelado. Em Nova Iorque, em pleno Times Square Garden, o novo Jetta apareceu oficialmente. Concebido a partir do conceito NCC (New Concept Coupe), o modelo 2011 do sedã mede agora 4,64 m de comprimento, medida 9 cm superior à do antigo modelo e que permitiu à distância entreeixos aumentar em 7 cm. Na altura, o novo Jetta fica com 1,45 m, enquanto a largura é de 1,78 m.

A nova geração do Jetta também ganha independência tecnológica: segundo a VW, a partir de agora o sedã não compartilha mais a plataforma do Golf, e assim como Tiguan e Passat CC, se torna um modelo único. Serão seis motores disponíveis para o mercado europeu: os novos 1.2 de 105 cv e 1.4 de 160 cv, movidos a gasolina; e 1.6 de 105 cv e 2.0 de 140 cv, movidos a diesel; além dos já conhecidos 1.4 de 122 cv e 2.0 de 200 cv, ambos a gasolina. Exceto o bloco de 1.2 litro, os demais poderão ser equipados com o câmbio automatizado DSG de seis ou sete velocidades, dependendo da versão. Já para os EUA e Canadá, serão quatro opções: os já conhecidos 2.5 de 170 cv e 2.0 turbo de 200 cv, e dois novos motores, de 115 cv e 140 cv – este último a diesel. Outra novidade para o Jetta 2011 é a versão BlueMotion, que é capaz de gastar apenas 4,1 litro de combustível a cada 100 km, de acordo com a marca.

No interior, o novo Jetta leva seis airbags, banco traseiro bipartido e acabamento personalizável. Até 2018, a VW quer triplicar suas vendas na América do Norte, alcançando a marca de 800.000 unidades por ano. O Jetta, que em toda sua história já vendeu 9,6 milhões de carros, responde hoje por 100.000 unidades anuais. Nos EUA, seus preços partirão de US$ 15 995.

Rodrigo Mora

|