A situação da Volkswagen em 2016 não está nada fácil. Além de vender menos como várias outras marcas, a montadora alemã só recentemente resolveu problemas com fornecedores que a fizeram parar a produção por várias semanas.

Além de afetar suas vendas, esses dificuldades a colocaram mais distante ainda de Fiat e Chevrolet entre as marcas mais vendidas do Brasil. O panorama não deve mudar tão cedo, mas pelo menos a Volks tem um trunfo nas mãos que bem usado poderá virar esse jogo um dia, a tecnologia.

Enquanto algumas rivais apenas aprimoram o necessário para atender as exigências do Inovar-Auto, a VW trouxe para o país o elogiado motor TSI, com turbo e injeção direta de combustível. Ele já tem deixado sua marca positiva em modelos como o Golf 1.4 e o up! turbo, além dos seus importados que usam o 2.0 TSI. Mas agora o propulsor chegou a um ponto impressionante: empurrar o Golf 1.0 TSI, a mais nova versão do hatch médio. A ideia da Volkswagen já foi antecipada há um bom tempo pelo AUTOO. Desde junho deste ano a notícia já era um forte rumor no mercado. 

Sim, temos um veiculo de porte médio no mercado brasileiro com motor ‘popular’, mas essa denominação não se aplica ao carro – embora ele se beneficie da pouco inteligente legislação brasileira, focada na forma e não na essência, ou seja, ele paga menos impostos.

Downsizing na melhor definição

Mas, afinal, quem compraria um Golf 1.0? Certamente alguém interessado num motor com 125 cv de potência e melhor que isso, com 20,4 kgfm de torque. É mais do que oferece o rival Fiat Bravo 1.8 16V (18,9 kgfm) com 80% mais de volume nos cilindros.

Também supera com boa margem o irmão Golf 1.6 MSI, versão de entrada do modelo, que tem apenas 120 cv e 16,8 kgfm de torque. E, de quebra, é ainda mais econômico – faz 11,9 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada com gasolina contra 10,1 km/l e 13 km/l do Golf 1.6.

E de onde vieram esses cavalos e quilos a mais de torque se o motor é o mesmo que equipa o up!? Da manjada e conveniente maior pressão no turbocompressor. Com isso, tirou-se mais performance do motor, mas com o cuidado de redimensionar partes que poderiam ficar comprometidas com essa elevação como radiador, materiais e velas e mudanças no comportamento do motor em baixas e altas rotações.

É talvez o melhor exemplo do que o downsizing pode fazer. É só lembrar do antigo motor 2.0 8V que equipava a geração 4 e oferecia apenas 120 cv e 18,4 kgfm de torque, mas com um consumo assustador.

 
 
Volkswagen Golf 2017
 
Volkswagen Golf 2017
Volkswagen Golf 2017
Volkswagen Golf 2017
 
Volkswagen Golf 2017
Volkswagen Golf 2017
Volkswagen Golf 2017
 
Volkswagen Golf 2017
Volkswagen Golf 2017
 
 

Meio termo

A chegada do Golf 1.0 TSI na versão Comfortline deixa a versão 1.4 TSI Highline mais exclusiva e a versão 1.6 segue em linha com opção de câmbio automático tiptronic de 6 velocidades. Já o Golf 1.0 vai apenas de câmbio manual de 6 marchas, com a vantagem de chegar às concessionárias por um preço mais acessível do que o 1.6 manual com apenas 5 velocidades (confira a lista completa abaixo). 

Entre os equipamentos de série há sete airbags, direção elétrica, ar-condicionado, trio elétrico, rodas de liga 16 polegadas, controle de tração e estabilidade com Hill Assist (freia o carro em saídas em rampa) e central “Composition Media”, com conexão via Carplay e Android Auto. Além disso, a VW oferece três pacotes de opcionais com itens como volante de couro, comandos satélites, central maior e mais equipada, controle de cruzeiro, ar-condicionado digital e teto solar. 

Vendia mais importado

A novidade pode tirar o Golf de um incômodo marasmo nas vendas. Depois de anos esperando pela nova geração, o Golf VII estreou em grande estilo, importado da Alemanha no final de 2013. Logo de cara, quase 2 mil unidades foram emplacadas por mês, fazendo o VW liderar alguns meses o segmento.

Mas logo os preços subiram, o dólar ficou salgado e o Golf passou a vir do México, porém, com alguns ‘downgrades’. O anúncio da produção nacional parecia a chave para voltar à liderança, mas quando isso virou realidade, a crise já se abatia no Brasil, o mercado de hatches médios minguava e o Golf nacional mal consegue emplacar 400 carros. Está nas mãos do motor 1.0 TSI virar esse jogo. Confira abaixo como fica a gama de versões a partir de agora na linha Golf, lembrando que as vendas da nova opção 1.0 TSI terão início apenas em novembro:  

1.0 TSI Comfortline manual 6 marchas - R$ 74.990

1.6 MSI Comfortline manual 5 marchas - R$ 78.130

1.6 MSI Comfortline automático 6 marchas
- R$ 83.530

1.4 TSI Highline manual 6 marchas
- R$ 95.670

1.4 TSI Highline automático 6 marchas
- R$ 101.070

2.0 GTI DSG 6 marchas
- R$ 123.110

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |