A Volkswagen é atualmente uma das montadoras com o maior leque de opções de automóveis no mercado mundial. Seus produtos atendem desde o ramo dos carros compactos com modelos como o Fox e o novo Polo até o segmento dos sedãs de alto luxo, no qual está representada com o sofisticado Phaeton. Entretanto, a marca alemã ainda deve um automóvel com motorização híbrida, tendência que vem ganhando cada vez mais espaço com a extensa busca pelo baixo consumo de combustível e redução das emissões.

Ciente de seu atraso, a empresa já estipulou uma data para enfim entrar no segmento: 2013. “Os carros elétricos vão alterar muito o futuro da mobilidade individual. A médio prazo, os híbridos plug-in oferecem um grande potencial por combinarem o melhor de dois mundos em apenas um automóvel”, afirmou Martin Winterkorn, presidente da VW, durante anúncio da tecnologia no Simpósio Internacional sobre Motorizações em Viena, na Áustria. O executivo, porém, não antecipou quais serão os primeiros modelos da nova série com apelo ecológico.

O híbrido plug-in é assim chamado pois recarrega suas baterias em tomadas elétricas convencionais, como as presentes em residências. Outros gêneros do ramo são os híbridos com sistema paralelo ou combinado. No primeiro, o motor a combustão é o principal, cabendo ao elétrico o papel auxiliar de gerar mais potência em momentos de aceleração. Nesse caso, a recarga das pilhas é realizada pelo motor a explosão. Alguns exemplos são o Honda Insight e CR-Z. O segundo tipo é impulsionado apenas por eletricidade, enquanto o bloco a gasolina tem apenas a função de recarregador. O Chevrolet Volt é assim.

Thiago Vinholes

|

Veja mais notícias da marca