A Chrysler acertadamente manteve o visual externo do Jeep Wrangler praticamente inalterado e concentrou seus esforços (e dinheiro, agora mais controlado sob o domínio da Fiat) na cabine do lendário jipe. As mudanças não se limitam ao visual, e contemplam também alterações práticas e tecnológicas – se distanciando, assim, do interior rústico da antiga versão e se aproximando dos irmãos mais sofisticados, como Cherokee e Grand Cherokee.

Os principais destaques são os novos volante, painel de instrumentos e console central, além de janelas mais largas e melhores materiais de acabamento. A Chrysler afirma ter melhorado também o isolamento acústico e a ergonomia do jipe. Externamente, há rodas redesenhadas e uma gama nova de cores: Bright White, Cosmos Blue, Deep Cherry Red, Detonator Yellow, and Sahara Tan.

Sob o capô, o jipe fabricado em Toledo (Ohio, EUA), continua trazendo o 3.8 litros V6, de 199 cv e 32 kgfm de torque acoplado a uma transmissão automática de quatro velocidades.

Rodrigo Mora

|