AMG: 1.500 cavalos de emoção

AUTOO andou em Interlagos com as três novidades esportivas da Mercedes-Benz no Brasil, o C63 AMG Coupé Black Series, E63 AMG e SLK55 AMG

Mercedes-Benz E63 AMG, SLK 55 AMG e C63 AMG Coupé Black Series | Imagem: Divulgação

Reunidos, os três novos modelos da grife AMG possuem nada menos que 1.500 cavalos de potência e agora estão no Brasil. A Mercedes-Benz resolveu apresentar, numa tacada só, o SLK 55 AMG com a nova motorização V8 5,5 litros aspirada, o E63 AMG com o novo motor V8 5,5 litros biturbo e o C63 AMG Coupé Black Series com o enorme motor V8 de 6,3 no autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Com número limitado de unidades, os três esportivos reforçam o portfólio da AMG, unidade dedicada a preparar os modelos da marca para uma tocada bem mais esportiva.

Além de servirem como veículos de imagem, os AMG também buscam um público mais jovem, mais alinhado com suas rivais alemãs BMW e Audi. Para mostrar do que são capazes as novidades, a Mercedes trouxe para o Brasil o piloto e instrutor dos cursos da AMG, Roland Rehfeld. O alemão não só instruiu os jornalistas como também liderou o grupo na pista a bordo de um SLS Roadster e podemos dizer que ele nos motivou como nunca: o que mais se ouvia no rádio eram mensagens como  “flat out” ou “put the pedal on the metal” ou, numa tradução livre, “acelera tudo!” e lá fomos nós até o final da reta a 240  km/h.

Mercedes-Benz SLK55 AMG

Vamos falar agora das máquinas em que andamos, ou melhor, pilotamos. A mais fraquinha foi a SLK 55 AMG, com “apenas” 421 cv, mas com o baixo peso e o entre-eixos curto não ficou para trás dos irmãos mais potentes. Com preço de US$ 244.900, o SLK 55 AMG é a grande estrela da preparadora alemã na questão de economia de combustível e baixa emissão de poluentes, mas por mais que saibamos quanto estas questões são importantes, é difícil analisar isso com um motor com mais de 55 kgfm de torque, que faz de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos, com velocidade máxima limitada de 250 km/h.

No estilo, o SLK 55 recebeu para-choque dianteiro com entradas de ar maiores e luzes de uso diurno com design especial. Faróis com lentes escurecidas e lanternas traseiras bicolores são exclusivas. No interior, acabamento em alumínio escovado. O volante AMG Performance tem a base e o topo quadrados, além de borboletas para troca de marchas em alumínio.  Um detalhe interessante é o sistema Airscarf de aquecimento para o pescoço. Ele cria um fluxo de ar aquecido em torno do pescoço e dos ombros dos ocupantes, proveniente de uma abertura na frente de cada um dos suportes de cabeça, bem interessante quando andamos com a capota aberta.

Mercedes-Benz E63 AMG

Esse foi o mais divertido de dirigir, apesar do apelo do irmão menor Black Series. A razão é que o E63 AMG é muito potente e, devido ao maior peso, permite brincar mais nas curvas, exigindo correções que aumentam a diversão.
Agora equipado com o novo motor V8 AMG 5,5 litros biturbo, ele entrega espantosos 557 cavalos de potência e torque de 81,6 kgfm, entre 2.000 e 4.500 rpm, típico de caminhões de grande porte, apresentando ao mesmo tempo redução no consumo: cerca de 20% menos do que seu antecessor equipado com o motor AMG V8 6.3 litros aspirado.  O desempenho é excepcional: aceleração de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos e velocidade máxima de 250 km/h (limitada eletronicamente).

A transmissão esportiva AMG Speedshift MCT de sete marchas possui quatro modos, sendo que o "S" (Sport), "S-" (Sport plus) e "M" (Manual) incrementam a agilidade do carro de forma muito perceptível, com tempos de resposta menores e maior rotação do motor nas trocas. Nesses três modos de transmissão não apenas o sistema start/stop é desativado como, em plena carga, o gerenciamento do motor, nas trocas, faz  interrupção da ignição e injeção e cria um efeito acústico emocionante.

Como se pode perceber, temos vários ajustes, que são selecionados no console central e que mudam sensivelmente o comportamento do carro, mas para facilitar existe um botão “AMG” que passa tudo de uma vez só para os módulos mais esportivos. Podemos chamá-lo de "botão da emoção"!

Por fora, o E 63 AMG é identificado pelo logotipo "V8 Biturbo" nos exclusivos para-lamas dianteiros alargados. Outras alterações incluem novos para-choques dianteiros e traseiros e o sistema de escapamento AMG com duas ponteiras duplas cromadas, além do defletor em fibra de carbono na extremidade da tampa do porta-malas.

O E 63 AMG possui também o Attention Assist, que analisa continuamente o comportamento de direção do condutor e avisa, por meio de sinal visual e sonoro, quando características típicas de sonolência ou desatenção são detectadas.
O preço para ter esse brinquedo na garagem não é pequeno: US$ 299.900.

Mercedes-Benz C 63 AMG Coupé Black Series

O nome dele é imenso: Mercedes-Benz C 63 AMG Coupé Black Series. Trata-se do classe C mais potente de todos os tempos, mas antes de qualquer coisa, temos que informar que só virão 12 unidades para o Brasil e 11 já foram comercializadas. Portanto, se quiser ser o último dono dele é preciso correr e desembolsar US$ 337.800.

A palavra com que podemos definir o Black Series é “estupidez”. O carro é superlativo em todos os aspectos, tanto em desempenho, quanto em dirigibilidade.  É uma verdadeira máquina de correr, instigando o “piloto”, a fazer cada curva, cada aceleração como uma prova de corrida.

Ostentando potência máxima de 517 cv e torque de 63,2 kgfm a 5.200rpm,  o motor V8 AMG de 6,3 litros impressiona por suas respostas imediatas, garantindo aceleração de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos e velocidade máxima limitada eletronicamente a 300 km/h (exceção na linha).

A frente conta com enormes entradas de ar. Duas aberturas no capô de alumínio respondem pela saída do calor do motor. O divisor de fluxo de ar em fibra de carbono localizado no extremo inferior ajuda o carro aerodinamicamente.
Graças ao novo eixo dianteiro com maior bitola, os para-lamas foram alargados em 2,8 cm de cada lado na frente e 4,2 cm atrás. As rodas em liga leve calçam pneus 255/35 R 19 na dianteira e 285/30 R 19 na traseira.

Na parte traseira do cupê Black Series o enorme difusor em fibra de carbono na parte inferior não tem apelo apenas estético, segundo o fabricante. O sistema de escapamento conta com ponteiras duplas cromadas nas duas laterais traseiras com formato retangular.

A transmissão é a AMG Speedshift MCT com sete marchas e conta com quatro modos e sistema Race Start, que faz o modelo arrancar da melhor forma possível. Para segurar tanto apetite, o sistema de freios foi redimensionado e ganhou materiais mais nobres.

O interior inteiramente negro com cintos de segurança vermelhos e costuras contrastantes da mesma cor no volante, assentos, painéis centrais das portas, apoios de braços, console central e manopla da alavanca de câmbio são o tom das mudanças. Os dois assentos esportivos tipo concha realmente funcionam em curvas, segurando perfeitamente o corpo. Ah, sim, o C 63 AMG Coupé Black Series só leva quatro pessoas, todas elas acomodadas em bancos esportivos e individuais. Certeza de emoção até para passageiros.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!