Ao trocar motor flex por um 2.2 diesel, Ford acertou em sua estratégia para a Ranger

Picape média cresceu em participação de mercado boa parte graças aos catálogos intermediários
Ford Ranger 2020

Ford Ranger 2020 | Imagem: Divulgação

A Ranger ficou atrás de Toyota Hilux e Chevrolet S10 no ranking das picapes médias mais vendidas no Brasil em 2020, contudo os emplacamentos do ano passado nos permitem constatar que a Ford tomou uma decisão acertada ao descontinuar as versões flex da picape, colocando no lugar o competente motor 2.2 turbodiesel.

Segundo levantamento da fabricante, a Ranger foi a picape média mais vendida na categoria dentro da faixa de preço intermediária do segmento, algo entre R$ 160 mil e R$ 190 mil. De acordo com a Ford, a participação da picape nessa parcela de mercado cresceu de 30,8% para 32% em 2020 graças às versões XLS 2.2.

Desde 2019, a Ford tomou a decisão de retirar do catálogo a opção 2.5 flex para a Ranger, que representava à época cerca de 4% das vendas da picape. É fato que a predileção dos consumidores de picapes médias no Brasil recai para a motorização diesel e a Ford conseguiu entregar um excelente custo-benefício com o propulsor 2.2 sob o capô da Ranger.

Atualmente é possível adquirir a Ranger XLS 2.2 turbodiesel com câmbio automático e tração traseira por R$ 162.590. Com tração 4x4 e a mesma transmissão, o preço sobe para R$ 192.690. Bem equipada, a Ranger XLS conta com os controles de tração e estabilidade, 7 airbags, central multimídia completa com câmera de ré, sensor de estacionamento, entre outros recursos.

Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020 no catálogo XLS
Imagem: Divulgação

A opção intermediária da Ranger também é uma boa pedida para quem não faz questão de um motor muito maior, como o 3.2 de 5 cilindros oferecido a partir do catálogo Storm (R$ 191.590), e está em busca de um compromisso mais equilibrado entre consumo e desempenho. É, portanto, uma alternativa bastante racional dentro da gama. Ao volante, como você confere em nosso teste, a Ranger 2.2 turbodiesel é uma picape muito equilibrada e seu nível de performance é mais do que aceitável.

A participação da Ranger entre as concorrentes considerando as versões mais caras também subiu, no caso de 16,2% para 17,2% em 2020. Nessa faixa do segmento a Ranger é representada pelas versões XLT (R$ 218.990) e a topo de linha Limited (R$ 238.390), que é a única na categoria a trazer assistentes de condução mais sofisticados como o farol alto adaptativo e controlador de velocidade de cruzeiro adaptativo. Integra também o pacote de segurança da Ranger Limited o alerta de colisão com frenagem autônoma de emergência. A previsão é que a nova geração da picape chegue ao mercado brasileiro em 2023.

Ford Ranger 2020
Ford Ranger 2020
Imagem: Divulgação