Após Onix e HB20, quem serão os próximos hatches compactos a mudar no Brasil

Veja como está a situação dos demais modelos do segmento, quem fica, quem muda e quem dará adeus em breve
Peugeot 208 2020

Peugeot 208 2020 | Imagem: Divulgação

As novidades mais aguardadas entre os hatches compactos acabam de chegar às concessionárias, como você, leitor do Autoo, já sabe. Onix e HB20 dominam o ranking de vendas no Brasil desde 2015 e essa situação não dá pinta de que irá mudar tão cedo.

Mesmo assim, é bom saber como estão seus rivais em termos de atualidade e perspectivas de mudanças. De fato, há modelos prestes a ganhar uma nova geração ou um tapa no visual como também que está com os dias contados na linha de produção. Confira a seguir um resumo com os mais importantes hatches compactos vendidos no país e sua situação hoje.

Ford Ka

Atual geração: 2014

Última reestilização: 2018

Atual segundo automóvel mais vendido do Brasil, um pouco à frente do HB20, o Ka recebeu um tapa no visual um tanto polêmico no ano passado, além de melhorias mecânicas e de conteúdo. Ou seja, a janela de mudança do modelo da Ford está um pouco longe de ocorrer, embora já se comente que seu sucessor será desenvolvido novamente na Índia, onde também já se gesta hoje o novo EcoSport.

Renault Kwid

Atual geração: 2017

Última reestilização: não houve

O Kwid é a maior surpresa do segmento de entrada nos últimos anos. Mesmo sendo minúsculo, com um dos mais apertados interiores do país, o Renault vende horrores para o tamanho da rede da marca. Sim, ela acertou ao brincar com elementos aventureiros, ao contrário do Mobi e do up!, que o superam em vários aspectos. Apesar de recente, o modelo deverá receber uma atualização visual mais simples que a chamativa reestilização indiana, possivelmente em 2021.

Volkswagen Gol

Atual geração: 2008

Última reestilização: 2017

O Gol vem resistindo bravamente a ficar obsoleto, ao contrário de alguns rivais como o Palio e o Celta, que foram esquecidos por suas marcas. E tudo leva a crer que a Volkswagen vai manter o nome vivo no Brasil afinal o Polo, lançado há dois anos, ocupou um nicho acima dele. Segundo o colunista Fernando Calmon, a Volks deverá lançar um novo Gol em 2021 e que substituirá por tabela o Fox, outro que já está fazendo hora extra no mercado brasileiro.

Fiat Argo

Atual geração: 2017

Última reestilização: não houve

Cotado para ser um hatch compacto premium, o Argo não teve fôlego para brigar no andar de cima e hoje disputa espaço com os mais bem sucedidos Onix e HB20. A Fiat ainda está explorando o potencial da plataforma como na versão aventureira Trekking, mas é de se esperar uma reestilização para 2021 a fim de manter o modelo atualizado frente aos novos carros.

Volkswagen Polo

Atual geração: 2017

Última reestilização: não houve

Como produto global, o Polo ainda não foi atualizado na Alemanha, portanto é cedo para mexer em seu visual no Brasil, mas atualizações de conteúdo serão bem-vindas para manter o modelo competitivo. Certamente, o foco da Volks agora é nos SUVs e no novo Gol, no entanto.

Fiat Mobi

Atual geração: 2016

Última reestilização: não houve

O Mobi foi uma tentativa frustrada da Fiat em repetir o que fez a GM com o Celta nos anos 2000, ou seja, criar um carro mais barato de produzir e vendê-lo no mercado com ares de avanço tecnológico. Com uma ação de marketing voltada para jovens, o minúsculo hatch suou a ter uma participação significativa no segmento, mas acabou ofuscado pelo Kwid. E pode estar com os dias contados já que a montadora italiana anda dizendo que vai explorar mercados mais rentáveis.

Renault Sandero

Atual geração: 2014

Última reestilização: 2019

O Sandero conseguiu encontrar espaço para vender razoavelmente bem no Brasil após o impacto da chegada do Kwid. O hatch recebeu uma leve atualização neste ano e deve contar com uma transmissão CVT em 2020, mas na Europa já se desenha uma terceira geração do modelo, mas é provável que ela só desembarque no Brasil em 2022.

Volkswagen Fox

Atual geração: 2003

Última reestilização: 2014

O Fox é o projeto mais antigo de hatch compacto que sobrevive no Brasil. Foi lançado há quase 17 anos numa época em que o Brasil ousou projetar um modelo que também seria vendido na Europa. Com sua plataforma versátil e espaçosa, o modelo se adaptou a novas funções, mas parece que o dia da sua aposentaria está chegando. Espremido entre o Gol e o Polo, o Fox deve dar adeus à medida que a nova geração do Gol ocupará todo o nicho de entrada.

Toyota Yaris

Atual geração: 2018

Última reestilização: não houve

Embora tenha sido lançado no ano passado, o Yaris é um hatch de projeto antigo no exterior, surgido em 2011. Não é por menos que a 4ª geração do compacto acaba de ser revelada na Europa e no Japão em setembro, construída sobre a nova plataforma TNGA-B. Mas como tudo na Toyota demora para ocorrer melhor não esperar por uma atualização tão cedo. Agora é preciso recuperar o investimento no atual projeto e o Yaris não tem feito feio no mercado.

Fiat Uno

Atual geração: 2010

Última reestilização: 2014

O nome Uno só perde em idade no mercado para o Gol, mas trata-se de um produto mais recente, recriado em 2010 com uma proposta inteligente da Fiat que uniu um design característico com bom conteúdo. Mas houve pouco tempo para ele aproveitar o mercado já que dois anos depois o Onix e o HB20 foram lançados. Apesar do nome consagrado, é bastante provável que a montadora o deixe de lado no futuro.

Toyota Etios

Atual geração: 2012

Última reestilização: 2016

O Etios, como se sabe, foi o maior erro estratégico da Toyota no Brasil. Tão cuidadosa em seus passos, a montadora japonesa pagou caro por isso porque, no caso do compacto, a demora acabou por minar suas chances na categoria. De quebra, o modelo, embora com uma plataforma moderna, foi enfiado goela abaixo do consumidor brasileiro com soluções estéticas e ergonômicas que não funcionam por aqui. Com as boas vendas do Yaris não há razão alguma para investir dinheiro num produto de entrada, então é provável que a Toyota faça no Brasil o mesmo que ocorrerá na Índia em 2020, por um fim em sua produção.

Volkswagen up!

Atual geração: 2014

Última reestilização: 2017

A ideia foi boa no papel, mas deixou a desejar na prática. O up! era uma proposta de carro urbano, moderno e econômico em linha com a Europa. Mas mais uma vez o público brasileiro torceu o nariz para um hatch tão sem apelo em um mar de concorrentes inflados e tecnicamente inferiores. Hoje ele vende bem menos que o velho Fox e não custa barato, apesar do tamanho. Deve dar adeus logo.

Nissan March

Atual geração: 2012

Última reestilização: 2014

O March era um carro muito aguardado no Brasil. Significou a entrada da Nissan num segmento bastante disputado e quando estreou vindo do México, o carrinho chegou a faltar nas lojas graças ao seu custo-benefício imbatível. Mas a festa durou pouco e mesmo quando passou a ser montado no Brasil e ganhou um visual mais agradável, o hatch nunca mais teve um desempenho de vendas decente. Agora, a Nissan estaria trabalhando num modelo mais simples para a América Latina já que o March europeu cresceu e está fora de questão.

Peugeot 208

Atual geração: 2013

Última reestilização: não houve

O 208 era para ser a redenção da Peugeot no segmento de hatches compactos após o vexame com o 207 nacional, um 206 maquiado. Mas nem o bom pacote técnico e as soluções originais como o volante ovalado e o cluster elevado convenceram o público a dar mais uma chance para a marca francesa. Mas a teimosia da PSA é imensa e em 2020 teremos uma nova geração do 208 no Brasil, mas desta vez produzida na Argentina, que não tem tradição de consumir esse tipo de carro e anda com a economia em frangalhos. Tem tudo para dar errado novamente.

Citroën C3

Atual geração: 2013

Última reestilização: 2015

Sim, ele ainda é vendido no Brasil, mas está cada vez mais esquecido pelo consumidor. Em novembro foram emplacados pouco mais de 100 carros, volume praticamente idêntico ao do importado e muito mais caro Mini Cooper. Mesmo assim, vem aí um novo C3 em 2021, mas com outro enfoque, voltado para os segmentos mais acessíveis onde está hoje o Kwid. Confirmado como produto da fábrica de Porto Real, talvez o novo C3 tenha mais chances que o 208 argentino.
 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!