As leis para motoristas e ciclistas conviverem em harmonia

Sabia que já existe multa para ciclistas? Confira abaixo o que não fazer montado na bike
A vantagem do suporte de teto é não cobrir a placa do carro

A vantagem do suporte de teto é não cobrir a placa do carro | Imagem: Reprodução internet

O país tem cada vez mais alternativas de transporte, como nas grandes cidades que passam a integrar patinetes e bicicletas elétricas com o trânsito caótico dos carros e ônibus. Mas muitos ainda desconhecem as leis que regem esses novos veículos. Veja abaixo o que pode e não pode fazer:

Estacionar na ciclovia

Segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), no Art. 181, é proibido estacionar o carro em ciclovia ou ciclofaixa, o que acarreta: multa de R$ 127,69, cinco pontos na carteira por conta da Infração Grave e remoção do veículo.

Caso o automóvel sofra alguma pane e precise estacionar na ciclovia, o órgão responsável pela fiscalização de trânsito não pode multar o motorista, mas desde que o carro esteja com o pisca-alerta ligado e o triângulo posicionado para esperar o socorro.

Transitar com carro pela ciclovia

O motorista que dirigir pela ciclovia está sujeito à multa de R$ 574,62 e estará cometendo uma infração gravíssima, gerando sete pontos na CNH. Ciclovia é lugar de bicicleta!

Os maiores respeitam os menores

Os veículos maiores são responsáveis pela segurança dos menores e os motorizados pelos não motorizados. E todos devem zelar pela segurança dos pedestres, inclusive as bikes e patinetes. Ou seja, de acordo com o CTB, os ciclistas têm preferência em relação aos carros, mas são os pedestres quem têm preferência quando comparamos com as bikes. Ou seja, o pedestre sempre tem a preferência.

Lei para ciclista

Muita gente não sabe, mas já existe multa para ciclista que trafegar de forma agressiva. Ela custa R$ 85,13 e a medida administrativa tomada é a remoção da bicicleta, mediante recibo para pagamento de multa.

Calçada

O ciclista não pode andar na calçada quando estiver conduzindo a bicicleta, apenas se não estiver montado nela e empurrar com a mão. Dessa forma os direitos do ciclista se igualam e ele se torna um pedestre, podendo trafegar pela calçada normalmente.