Na maioria dos casos os brasileiros se preocupam com as altas temperaturas que o motor pode enfrentar, até porque vivemos em um país tropical. Mas você sabia que as temperaturas baixas também podem diminuir a vida útil e prejudicar o funcionamento do propulsor? Sim, pois há uma temperatura ideal de trabalho.

Para que o motor de ciclo Otto (a maioria no mercado, exceto pelos híbridos que em grande parte adotam o ciclo Atkinson) trabalhe da melhor forma é recomendado que sua temperatura fique em torno de 90°C o mais rápido possível e assim permaneça estável para condição de uso. Isso se deve também para a boa lubrificação do motor. 

A peça responsável por essa estabilização é a válvula termostática, que controla o fluído de arrefecimento entre o radiador e o bloco. É ela quem libera ou bloqueia a passagem do líquido de acordo com a temperatura, trabalhando em conjunto com o eletroventilador.

Não utilize o veículo sem a válvula termostática, pois o propulsor pode não trabalhar na temperatura ideal, além de o condutor ficar sem essa informação necessária no painel de instrumentos. Um exemplo é rodar em baixa temperatura nas estradas, onde o resfriamento do motor é maior. Quando isso acontece, a injeção eletrônica aumenta a quantidade de combustível injetado no cilindro, para compensar a perda de temperatura. Assim, quando a temperatura cai o consumo sobe. Fique de olho!

Vinicius Montoia

Formado pela PUC-SP em jornalismo, Vinicius já atua no setor automobilístico desde 2013. É criador do canal Narração Esportiva do Youtube, projeto que conta a história dos maiores narradores esportivos do país

Vinicius Montoia | https://www.youtube.com/channel/UC2lKRtZdmSdMRJZ8Pim78Fw