Carros elétricos e híbridos ficarão mais baratos no Brasil

Governo antecipa que modelos de propulsão alternativa pagarão tributo menor
Toyota Prius 2016

Toyota Prius 2016 | Imagem: Divulgação

Ainda sem apresentar o projeto final do Rota 2030, novo regime automotivo brasileiro que deveria vigorar a partir deste mês, o governo federal sinalizou com uma boa medida envolvendo os carros elétricos e híbridos.

Segundo um comunicado oficial do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, “em relação aos veículos com novas tecnologias de propulsão, o MDIC propõe alteração das alíquotas de IPI incidentes sobre os veículos híbridos e elétricos, de forma a reduzir o custo final e estimular a compra do produto no mercado nacional”.

A informação foi revelada pelo ministro Marcos Jorge de Lima e, de acordo com algumas informações reveladas na imprensa, o IPI pago por automóveis elétricos e híbridos deverá ficar em 7%. Um modelo como o Toyota Prius, por exemplo, deverá ter uma redução no preço em torno de R$ 10.000. 

Com relação ao Rota 2030, o ministro prometeu o documento final “em breve”. “Estamos fazendo ajuste fino, já no âmbito da Presidência da República, para que possamos estar nos próximos meses anunciando esse trabalho”, anunciou Marcos Jorge.

Em nota, o MDIC acrescenta que “liderou mais de cem encontros, divididos em grupos de trabalho técnicos, com o objetivo de estabelecer um conjunto de regras para os próximos 15 anos. Números do IEDI (Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial) mostram que, dos 2,3% de crescimento da indústria nacional, de janeiro a novembro de 2017, 50% se deve à cadeia automotiva. A nova política automotiva foi construída com base em eixos como o fortalecimento da cadeia produtiva, estímulo à pesquisa e desenvolvimento, ganhos em eficiência energética e inserção da indústria brasileira nas cadeias globais de valor”.