Conheça 10 carros que mereciam ser vendidos no Brasil

Mesmo sendo o 4º mercado do mundo e tendo quase 50 marcas atuantes, há muitos modelos distantes de nossos consumidores

Hyundai Genesis Coupé 2013 | Imagem: Divulgação

O slogan “brasileiro gosta de carros” foi usado em exaustão por uma rede de postos de combustível há alguns anos e ele tem realmente um fundo de verdade. Nosso país, além da tradição da indústria automobilística de mais de 50 anos de produção, tem galgado degraus no ranking dos maiores mercados do mundo e hoje disputa com a Alemanha a 4ª posição, atrás apenas do Japão, Estados Unidos e, claro, a China.

Mas o que mais impressiona é que pagamos muito mais pelos veículos que qualquer outro lugar no globo, embora governo e fabricantes neguem. Nem isso tem impedido que as vendas cresçam e que nada menos que 46 marcas tenham disputado esse público em 2012 – a 47ª marca foi lançada nesta semana, a Rely, de comerciais leves.

Ainda assim, há muitos modelos que passam longe de nós. Carros e utilitários famosos, outros caros demais e outros que simplesmente não têm uma razão clara para não chegar aqui por vias oficiais – mas que são até vistos com frequência por aí via importadores independentes.

AUTOO resolveu elencar 10 modelos que gostaria de ver no Brasil e explica as hipóteses que impedem que eles estejam nas lojas oficiais de suas marcas. Para abrandar uma possível revolta, também citamos as marcas que já anunciaram sua chegada ao país em breve, quem sabe um prenúncio que mais e mais modelos estarão entre nós de forma oficial. Que os deuses (e os fabricantes) nos ouçam.

Alfa Romeo MiTo

Parece engraçado, mas a Alfa Romeo ainda figura como marca da Anfavea, a associação que reúne as montadoras instaladas no país. Vez ou outra, um exemplar aparece emplacado no Brasil, certamente para uso interno na Fiat, mas a empresa nunca deixou de pensar na sua volta. Parece que esse momento está próximo, num suposto trabalho conjunto com a rede da Chrysler. Modelos interessantes não faltam como o MiTo, um hatch compacto premium que brigaria com A1, Mini Cooper e Citroën DS3.

Cadillac ATS

O sedã americano foi escolhido o Carro do Ano 2013 durante o Salão de Detroit, na semana passada. A imprensa do país, aliás, fez generosos elogios ao modelo, considerado pelo Washington Post como melhor até que o BMW Série 3. A Cadillac sempre rondou nosso país, mas até hoje o GM nega que vá trazê-la para cá. Uma pena, já que há outros modelos interessantes como o novo ELR, um cupê híbrido bem mais elegante que o Volt, do qual usa o sistema de propulsão.

Chevrolet Corvette

Mais um GM desejado. E não há como evitar isso. A nova geração do Corvette, mostrada em Detroit, parou o COBO Center. Era quase impossível fotografá-lo sem ninguém ao seu lado. A experiência positiva com o Camaro pode ser um incentivo para a Chevrolet – o esportivo emplacou 928 unidades em 2018, um número respeitável para um carro que custa cerca de R$ 200 mil.

Dodge Dart

Pensaram que iríamos citar o Viper? Ele também seria uma boa escolha, mas a produção está toda comprometida com os EUA. Já o Dart, o sedã da Dodge, com seu belo visual, poderia servir como uma opção interessante para quem cansou de Civics e Corollas. O Dart, cujo nome tem história aqui também, é uma carta que a Fiat, dona da Chrysler, guarda com carinho para os próximos anos.

Ford F150

Num ano em que a Ford disse que será o dos comerciais para ela por que não ver a F150 sendo vendida no Brasil? A picape é seu modelo mais vendido nos Estados Unidos e é maior que a nova Ranger. Por aqui, a Ford vendeu a maior F250 até o ano passado para brigar com a RAM, mas a F150, com seu visual mais agressivo, poderia dominar o segmento acima dos modelos médios. Fãs da picape não faltarão.

Hyundai Genesis Coupé

É verdade, já temos o Genesis aqui, mas o sedã de luxo. Falta, sem dúvida, o cupê esportivo que é vendido até na Argentina, mas negado aos consumidores brasileiros. Com motor 3.8 litros V6 de mais de 350 cv, o Genesis esportivo certamente poderia apagar a má imagem que o Veloster deixou em relação ao desempenho de carro comum.

McLaren MP4-12C

Nem a tradição dos pilotos brasileiros na McLaren (Senna e Emerson) fez Ron Dennis cogitar abrir uma loja da marca no Brasil. A empresa inglesa tem colhido bons frutos com o MP4-12C, seu primeiro esportivo comercial, e certamente existe num cenário futuro planos de expansão para países em desenvolvimento como o nosso. Só não se sabe quando isso pode virar realidade. Por enquanto, o jeito é ver os McLaren em Interlagos no GP Brasil de F1.

Nissan Juke

A Nissan é uma das marcas que mais cresce no Brasil e abrirá sua primeira fábrica própria em 2014. A montadora também já planeja ampliar novamente o portfólio no mercado com a vinda do sedã Altima, mas há outros modelos bem interessantes em sua linha mundial. Um exemplo é o Juke, um crossover de formas pouco convencionais que certamente não passaria despercebido nas ruas.

Tesla S

Provavelmente, você nem tenha escutado falar dessa marca, mas deveria. A Tesla surgiu como uma espécie de montadora do Vale do Silício, com modelos elétricos com caráter esportivo e teor ecológico. Caiu nas graças das celebridades americanas com seu primeiro veículo, o Roadster. O sedã S, no entanto, é bem mais interessante. Seu desenho elegante nem parece de um elétrico, mas o carro consegue ir de 0 a 100 km/h em menos de 5 segundos e chega a atingir 210 km/h. Dependendo do modo, pode rodar por até 480 km com suas baterias. O preço é salgado, no entanto – US$ 52 mil, ou pouco mais de R$ 100 mil.

Toyota iQ

Nem só os carrões fazem falta no Brasil. Modelos urbanos seriam bem-vindos em cidades com trânsito caótico. O iQ, da Toyota, é um modelo que cairia como uma luva por aqui. Rival do Smart ForTwo, o carrinho de dois lugares japonês é mais espaçoso e possui motores mais potentes. Para uma das maiores montadoras do mundo, seria uma adição importante para sua lista de carros, que por aqui é um tanto modesta comparada à de seus concorrentes.

Acura e Infiniti a caminho

Se os dez carros acima não passam de sonhos ao menos o consumidor brasileiro já pode comemorar a chegada de duas novas marcas, ambas japonesas e premium. A Acura e a Infiniti já anunciaram planos para o Brasil recentemente.

A Acura é um braço de luxo da Honda e tem estreia prometida para 2015. Entre os modelos cotados estão o sedã TSX e o SUV RDX, mas a marca ainda não decidiu nada. Já a Infiniti chega antes, no 3º trimestre de 2014 com veículos como o crossover FX e o novíssimo e belo Q50, seu novo sedã, mostrado em Detroit. Até lá já dá para guardar um dinheirinho no banco.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!