Devido à greve na sexta-feira, CET libera rodízio, Zona Azul e faixas de ônibus na cidade de São Paulo

Órgão responsável por gerir o trânsito na capital paulista anuncia medidas para não prejudicar a população
São Paulo

São Paulo | Imagem: Divulgação

Em razão da paralisação marcada para sexta-feira (28/4) por algumas categorias, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes vai adotar uma série de medidas para não prejudicar o fluxe dos transportes na cidade de São Paulo. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) vai liberar o rodízio nesta sexta-feira, além da Zona Azul, o uso das faixas de ônibus e dos corredores para veículos como táxis, fretados e carros com mais de um passageiro.

A Secretaria Municipal de Transportes (SMT) recomenda que, em distâncias curtas, as pessoas optem por utilizar bicicletas ou façam trajetos a pé. O secretário Sérgio Avelleda também orienta que os trabalhadores planejem o dia de amanhã e conversem com vizinhos e colegas de trabalho para que possam organizar esquemas de carona.

A suspensão do rodízio vale apenas para os carros enquanto as restrições de circulação para caminhões seguem valendo normalmente.

Os corredores de ônibus estão liberados para o tráfego de táxis, com ou sem passageiros, ônibus fretados, ônibus escolares e veículos de passeio com dois ou mais passageiros. Os carros também vão poder circular nas faixas exclusivas para ônibus. O estacionamento em vagas da Zona Azul está liberado gratuitamente.

A paralisação está programada para começar à 0h desta sexta-feira. A Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade orienta à população a compartilhar os carros de passeio com vizinhos e colegas de trabalho.

As medidas tomadas pela administração municipal para esta sexta-feira (28) são:

- Rodízio Municipal de Veículos será suspenso durante todo o dia para os carros. Restrições a caminhões continuam valendo normalmente;

- Corredores exclusivos de ônibus serão liberados para a circulação de táxis, com ou sem passageiro, ônibus fretados, ônibus escolares e carros de passeio com dois ou mais passageiros, durante todo o dia;

- Faixas exclusivas de ônibus serão liberadas para carros durante todo o dia;

- Estacionamento em vagas de Zona Azul está liberado durante todo o dia;

- As faixas reversíveis do período da manhã serão mantidas até as 10h. São elas: Ponte das Bandeiras, Ponte dos Remédios, Radial Leste, Conselheiro Carrão, Ponte do Limão, Ponte da Casa Verde, Ponte João Dias e Ponte do Piqueri e Ponte Jurubatuba.

- No período da tarde, as faixas reversíveis irão seguir a operação normal.

A Prefeitura de São Paulo obteve, na noite de quarta-feira (26/4) decisão em caráter liminar da Justiça do Trabalho de São Paulo que obriga Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo manter a frota mínima de 80% dos ônibus da rede municipal de transporte para linhas com itinerários que passem por hospitais e demais casas de cuidado à saúde, além de 60% para os horários de pico (das 6h às 9h e das 17h às 19h) durante o dia de amanhã (28/4).

A liminar, da 9º Vara do Trabalho de São Paulo, ainda obriga o referido sindicato a manter frota mínima de 40% nos demais horários (fora dos picos da manhã e da tarde) em linhas que não passem por instituições de saúde.

Em caso de descumprimento, foi fixada multa de R$ 500 mil por hora.

A decisão é reflexo do esforço da Prefeitura para evitar que a medida do sindicato de paralisar a frota de ônibus da cidade por 24 horas a partir das 0h de amanhã prejudique os 9,6 milhões de passageiros que utilizam e dependem do sistema municipal de transportes diariamente.

A SMT já está tomando medidas para que o sindicato seja comunicado formalmente da decisão. A SPUrbanuss – sindicato patronal das empresas de ônibus – também será notificada.