Empresa de recarga de carros elétricos sai de cena

Better Place era parceira da Renault e propunha troca da bateria inteira em vez de recarregá-las em postos

Posto da Better Place: troca de bateria ocorria em cinco minutos | Imagem: Divulgação

O que parecia ser uma ideia genial virou fumaça. A empresa Better Place, fundada em Israel por um empresário do ramo de softwares, anunciou nesta semana que está fechando suas portas após ver fracassar seu projeto de postos de troca de baterias para veículos elétricos.

A Better Place foi criada há cinco ano pelo israelense Shai Agassi que chamou a atenção de Carlos Ghosn, presidente da Renault-Nissan e defensor dos carros 100% elétricos. Agassi pretendia resolver o problema da baixa autonomia desse tipo de veículo com uma solução curiosa. Em vez de recarregar suas baterias, a Better Place substituía a peça inteira por meio de uma plataforma. A bateria descarregada era retirada por baixo do carro e no seu lugar uma peça cheia era encaixada em poucos minutos.

Veja também: Elétrico, Fluence Z.E. requer vida planejada

A Renault encampou a ideia em modelos como o Fluence elétrico e Israel e Dinamarca estrearam as primeiras redes de recarga. No entanto, a baixa adesão ao programa decretou seu fim. Segundo o atual presidente da Better Place (Agassi havia sido afastado no ano passado), “embora os clientes estejam satisfeitos, a adesão de mais consumidores e das montadoras foi baixa, inviabilizando o projeto”, disse Dan Cohen.

Poucas vendas

Segundo a Renault, mil unidades do Fluence Z.E. foram vendidas em Israel e outras 240 na Dinamarca. Para eles a saída agora é recarregar seus veículos em casa ou em pontos de recarga rápida. A montadora francesa informou que a parceria com a Better Place não afetará seu projeto de carros de “zero emissão”.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!