Enquete: qual carro deixou mais saudades?

Vote no automóvel nacional que mais faz falta no mercado brasileiro

Volkswagen Fusca | Imagem: VW

A relação entre o homem e o automóvel vai muito além da facilidade de transporte. Ao longo dos anos criou-se uma afinidade entre os dois que envolve sentimentos, sobretudo a paixão. No Brasil, um país com um povo caloroso, a emoção não é diferente, a ponto de um determinado veículo virar objeto de culto e mover massas em exposições e encontros. Os modelos do passado, em especial, são os que mais movimentam os fãs e também os que mais deixaram saudades.

O AUTOO selecionou seis carros que marcaram época para você, caro leitor, comentar qual deles faz mais falta no mercado nacional.

Volkswagen Fusca

O Fusca foi um dos primeiros carros vendidos no Brasil que criou uma imensa legião de fãs. Lançado no País em 1950, quando ainda vinha importado da Alemanha, o modelo virou sucesso de imediato na praça, tanto que a Volkswagen passou a produzi-lo em território nacional em 1953 e assim seguiu até 1986, quando o modelo deixou a linha de montagem para abrir espaço a produção do então recém-lançado Gol. Mas essa foi apenas a primeira despedida do clássico VW no mercado nacional.

Em 1993, a pedido do então presidente Itamar Franco, a montadora retomou a produção do Fusca, que seguiu até 1996. Os modelos desse período ficaram conhecidos como “Fusca Itamar”. Ao todo, somados os dois períodos de produção, a Volks produziu cerca de 3,3 milhões de unidades do compacto. De tão marcante que foi sua passagem, o modelo ganhou até um dia especial: em 20 de janeiro comemora-se o “Dia do Fusca”.

VW Fusca
Divulgação

Volkswagen Fusca: modelo foi produzido no Brasil de 1953 até 1996

Volkswagen Gol GTi

A versão esportiva do clássico Gol “caixa”, a GTi, foi um carro tão importante para a indústria do que para quem o comprou na época. Lançado em 1989, o modelo foi o primeiro veículo fabricado no Brasil a abandonar o arcaico carburador do motor para adotar um moderno sistema de injeção eletrônica que depois se tornaria padrão no mercado nacional. Com o novo recurso foram-se as partidas sem rateadas e o afogador em troca de melhores desempenhos em aceleração e consumo de combustível.

Conforme dados da época, o Gol GTi com motor 2.0 de 120 cv podia acelerar do 0 aos 100 km/h em 10 segundos e alcança velocidades superiores a 170 km/h. Já o consumo médio de gasolina girava em torno de 10 km/l, um bom número para aquele tempo.

VW Gol GTi
Divulgação

Volkswagen Gol GTi: compacto com motor 2.0 de 120 cv podia passar dos 170 km/h

Fiat 147

O pequeno 147 chegou ao mercado brasileiro em meio a crise do petróleo dos anos 1970 prometendo economia de combustível e como uma alternativa a utilização da gasolina. O primeiro produto da Fiat produzido no Brasil em 1976 foi também o primeiro automóvel produzido em série com motor movido a etanol no mundo. Sua produção durou até 1987 e, segundo a montadora, 536.591 unidades do veículos deixaram a linha de montagem da marca em Betim (MG), hoje a maior fábrica de carros do País em volume de produção e espaço físico.

Fiat 147
Divulgação

Fiat 147: o clássico compacto italiano foi o primeiro automóvel que a Fiat produziu no Brasil

Chevrolet Opala

Primeiro automóvel de passeio fabricado pela GM no Brasil, o Opala também foi também um dos o precursores do segmento de luxo no País. O clássico modelo da Chevrolet foi produzido em São Caetano entre 1968 e 1992 e foi oferecido nas versões de carroceria sedã, coupé e station wagon, que no mercado nacional ganhou o nome “Caravan”. As versões esportivas do modelo, chamadas SS, também marcaram o imaginário popular ao trazer os primeiros motores seis cilindros ao mercado. Durante os 24 anos em que foi produzido o veículo sofreu diversas modificações visuais, mas sempre manteve sua essência estrutural intocada.

Chevrolet Opala
Divulgação

Chevrolet Opala: lançado em 1968, o sedã foi o primeiro carro de passeio da GM feito no Brasil

Chevrolet Monza

O Monza foi lançado no mercado brasileiro em 1982 com uma proposta inovadora: ser o primeiro carro médio para famílias de classe média. Seu sucesso com o público foi imediato e o modelo logo se tornou um dos mais queridos no consumidor. Prova disso é o fato do primeiro sedã médio nacional da Chevrolet ter sido o automóvel mais vendido no País entre 1984 e 1986, uma época então dominada pelo Fusca. Com a abertura das importações em 1991 o carro perdeu força ao ficar obsoleto, mesmo assim seguiu na linha de montagem até 1996. Após sua descontinuação a GM lançou o Vectra.

Chevrolet Monza
Divulgação

Chevrolet Monza: o antigo sedã médio da Chevrolet foi o carro mais vendido do País de 1984 a 1986

Ford Corcel

O Corcel foi um dos carros da Ford mais queridos pelo brasileiro, que na época de seu lançamento foi em busca do modelo por ele trazer bom desempenho e desenho esportivo, que foi repetido tanto na primeira geração, de 1968, como na segunda linha do carro, que estreou em 1977 e seguiu em produção até 1986.

Ford Corcel II
Divulgação

Ford Corcel II: o clássico modelo da Ford teve duas gerações no Brasil. Sua produção terminou em 1986

Assine a newsletter semanal do AUTOO!