Fiat Chrysler: queda de 12% nas vendas na América Latina devido à Covid-19

Conglomerado anunciou seus resultados relativos ao primeiro trimestre deste ano
FCA investirá R$ 16 bilhões no Brasil até 2024: portfólio de produtos será bem interessante

FCA investirá R$ 16 bilhões no Brasil até 2024: portfólio de produtos será bem interessante | Imagem: Divulgação

A Fiat Chrysler, importante conglomerado automotivo que atua em diversos países, divulga nesta semana seu balanço financeiro relativo ao primeiro trimestre deste ano. Os dados já nos permitem ter uma ideia dos impactos da Covid-19 nos negócios da empresa.

Falando especificamente da região América Latina, a Fiat Chrysler apurou uma queda de 12% nas vendas, somando 106 mil unidades emplacadas no período. “A receita líquida caiu 32%, para 1,32 bilhão de euros, principalmente devido à menor comercialização, bem como impactos a negativos de câmbio devido ao enfraquecimento do real", destaca a FCA. A queda nas vendas também é justificada pela suspensão temporária da produção no Brasil a partir de 23 de março. 

Mesmo assim, considerando seus resultados no mundo, a FCA ainda conseguiu registrar um lucro antes de juros e tributos (EBIT) da ordem de 52 milhões de euros no primeiro trimestre do ano. “A empresa reporta vendas de 20,6 bilhões de euros no período, o que representa uma retração de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram comercializadas 818 mil unidades, com queda de 21% em relação ao primeiro trimestre de 2019. Foram registradas perda líquida de operações contínuas de 1,7 bilhão de euros e perda líquida ajustada de 500 milhões de euros”, detalha a companhia ítalo-americana.

Ainda em um ambiente desafiador na América Latina, com vários países registrando um número crescente de infectados pelo novo coronavírus, a FCA enxerga uma perspectiva de melhora nos próximos meses.

“Dado o reinício bem-sucedido das operações na joint venture na China, juntamente com a rede de concessionárias e a retomada da produção na planta de veículos comerciais em Atessa, Itália, em 27 de abril, que opera a aproximadamente 70% de sua capacidade normal, o grupo está confiante quanto às suas perspectivas. A retomada da produção em outras regiões será gradual ao longo de um período de tempo e alinhada à demanda do consumidor. Os procedimentos de retorno ao trabalho de nossos escritórios e outras instalações foram iniciados e serão implementados gradualmente, com o uso disseminado e contínuo de práticas de trabalho remotas”, explicou a Fiat Chrysler em comunicado.

Por fim, a FCA revela que seu processo de fusão com a Peugeot Citroën não será afetado pela Covid-19. “Não obstante esse cenário inesperado e sem precedentes, a FCA e o Groupe PSA permanecem comprometidos com a fusão 50/50, que criará uma empresa líder em mobilidade global. Juntos, os dois grupos continuam avançando nos vários fluxos de trabalho de fusão e continua comprometidos em concluir a transação até o final deste ano ou no início de 2021”, finaliza a Fiat Chrysler.

Acima a fachada do Chrysler World Headquarters and Technology Center, complexo que faz parte da FCA
Acima a fachada do Chrysler World Headquarters and Technology Center, complexo que faz parte da FCA
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!