Fiat pode fechar duas fábricas na Itália

Medida é cogitada caso o plano de exportações para os EUA não saia como o previsto

Fiat ainda busca seu espaço nos EUA | Imagem: Fiat

O retorno da Fiat ao mercado norte-americano não está sendo tão promissor quanto os italianos pensaram que seria ao adquirir o endividado Grupo Chrysler e salvá-lo da falência a troco da utilização de sua estrutura nos Estados Unidos. Muito dinheiro foi gasto na empreitada e agora é preciso pagar a conta.

Em entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera, Sergio Marchionne, CEO da grupo Fiat-Chrysler, afirmou que o mal resultado nos EUA pode forçar o fechamento de duas fábricas na Itália caso os investimentos não tragam o retorno esperado.

“Temos tudo para aproveitar a oportunidade de produzir de forma competitiva para o mercado dos Estados Unidos. Se isso não acontecer teremos de encerrar duas das cinco fábricas na Itália”, afirmou Marchionne ao periódico.

Há ainda a preocupação com a crise financeira que afeta a Europa, sendo a Itália um dos países com maiores dificuldades. Por conta disto, a Fiat perdeu € 500 milhões em 2011 e teve de fechar suas instalações na região da Sicília.

O maior mercado da Fiat no mundo é o Brasil, com vendas anuais acima de 750 mil unidades desde 2010. Tal volume deixou o mercado italiano, que vem caindo de forma gradativa nos últimos cinco anos, em segundo lugar. Já nos EUA o plano da marca era vender 50 mil exemplares do Cinquecento em 2011. O número, no entanto, não chegou a 15 mil.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!