Fim da Ford Credit no Brasil e Argentina custará R$ 1,8 bilhão

Encerramento do braço financeiro da empresa foi anunciado pela matriz nos EUA
Ford

Ford | Imagem: Divulgação

A Ford comunicou nesta semana que planeja encerrar as atividades da Ford Credit, seu braço financeiro, no Brasil e Argentina. A decisão foi informada à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC na sigla em inglês) no último dia 25. 

Segundo o relato da Ford às autoridades, sua intenção é "cessar a originação de recebíveis até o fim de 2021 e começar o processo de venda ou de qualquer outra forma de liquidação de suas operações nesses mercados". 

Para efetivar a decisão, a Ford espera registrar uma despesa total de US$ 375 milhões, mais de R$ 1,8 bilhão pela cotação atual da moeda norte-americana. 

"As despesas serão principalmente não monetárias, incluindo até US$ 365 milhões de perdas de conversão de moeda estrangeira, que se espera serem reconhecidas na venda, transferência ou liquidação completa das subsidiárias da Ford Credit no Brasil e Argentina", relata a empresa. 

Outros US$ 10 milhões serão gastos no desligamento de funcionários da Ford Credit nos dois países até o fim deste ano. 

A Ford acrescenta que "o tempo para a conclusão dessas ações ainda não foi determinado". 

Vale destacar que os US$ 375 milhões vão se somar aos US$ 4,1 bilhões que a Ford tem provisionado para realizar seu processo de encerramento das atividades produtivas no Brasil, englobando gastos com o ressarcimento aos concessionários, entre outras medidas. 

Para aprimorar o novo modelo de negócios da Ford na América do Sul, incluindo melhoria da competitividade e melhor atendimento aos clientes e revendedores, a Ford Credit tem avaliado modelos em uma variedade de cenários para fornecer suporte ideal. A transição do financiamento de atacado dos revendedores Ford, migrando para provedores bancários preferenciais no Brasil e na Argentina, é o resultado dessa avaliação. Os clientes de varejo já são atendidos por meio de titulares preferenciais”, declarou a fabricante para veículos de imprensa norte-americanos. 

Novo aumento do ICMS deverá abalar as vendas de carros novos em SP
Concessionários deverão trabalhar com outras empresas para financiar operações e vendas aos clientes 
Imagem: Divulgação