Gandini quer fábrica da Kia e da Geely no Brasil

Aposta do executivo seria produzir o Kia Sportage, que é o carro importado mais vendido no País

Versões mais caras ganharam luzes diurnas de LEDs nos faróis | Imagem: Divulgação

Há muito tempo observamos falar a respeito da fábrica da Kia Motors no Brasil, que nunca saiu do papel. Apesar disso, o importador da montadora sul-coreana no País, José Luiz Gandini, não desistiu dos planos da unidade fabril, de acordo com uma publicação do site Auto Data. Desta vez, o executivo quer também produzir os modelos da recém-chegada chinesa Geely, outra marca representada pelo grupo.

Nos últimos dez anos, o anúncio da fábrica foi realizado diversas vezes, nas cidades de Linhares (ES), Pouso Alegre (MG) e, por último, em Salto (SP). No fim do ano passado, Gandini anunciou que o terreno paulista seria convertido em condomínio industrial, que também não se concretizou. Agora, o executivo afirmou que o piso foi concluído e acredita que uma fábrica deve ser construída por lá.

Gandini ficou entusiasmado com o anúncio da fábrica da Kia no México, que vai produzir o sedã médio Cerato e o compacto Rio. O Sportage, porém, não foi confirmado para a linha de produção da nova unidade. Portanto, como o utilitário-esportivo é o mais vendido da linha da marca no Brasil (e também o número 1 entre os importados), há chances da construção de uma planta para a fabricação do modelo.

O Brasil até chegou a disputar a nova fábrica da Kia Motors, mas teve como entrave o caso da Asia Motors. A fabricante já não está mais envolvida na “encrenca”, ao provar que somente os sócios brasileiros foram responsáveis pela construção de uma fábrica em Camaçari (BA), que nunca chegou a ser concluída e teve seu terreno destinado à Ford. Entretanto, há uma dívida dos impostos de importação de bilhões de reais, já que a marca sul-coreana tinha participação de 51% no negócio e houve isenção mediante a construção da fábrica.

Apesar disso, a Kia pode fabricar seus veículos por aqui através de transferência de tecnologia para uma empresa local. O uso da planta da Hyundai em Piracicaba (SP), que é responsável pela produção da linha HB20, porém, está descartada.

Quanto à Geely, Gandini afirmou que não adiantaria construir uma fábrica sem uma rede de concessionárias – atualmente, há apenas duas revendas. A intenção da empresa chinesa no Brasil é fabricar o crossover EX7, que vai fazer sua estreia no Salão de São Paulo, neste mês, e no mercado nacional em 2015.

Caso a fábrica finalmente dê certo, haverá uma linha de produção para os carros da Kia e outra para os modelos da Geely. 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!