Gasolina pode ganhar maior percentual de etanol em breve

Senado aprovou aumento de etanol na gasolina para 27,5%, que deve ser sancionado pela presidente

Combustíveis não estão sendo vilões para bolso do motorista | Imagem: Getty Images

O Senado aprovou na última semana o Projeto de Lei de Conversão 14/2014, decorrente da Medida Provisória (MP) 647/2014, que prevê o aumento da presença do etanol na gasolina, chegando a 27,5%. Atualmente, a adição máxima de álcool anidro na gasolina é de no máximo 25% e de no mínimo 18%. O projeto será encaminhado para sanção da presidente Dilma Rousseff.

A medida foi realizada para atender a uma demanda das usinas sucroalcooleiras. Entretanto, a nova gasolina pode gerar prejuízos, por conta do possível desgaste prematuro das peças do motor dos automóveis, com exceção dos modelos com tecnologia flex, que estão preparados para rodar com os dois combustíveis. A preocupação está nos automóveis importados que rodam apenas com gasolina, que correspondem por 6% das vendas no País.

De acordo com representantes da Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores), com a gasolina com maior percentual de etanol em sua mistura, alguns veículos podem apresentar dificuldades no momento da partida. Além disso, a adição de álcool é inconsistente com políticas de redução de emissões de gases, ainda segundo os executivos.

Os motores dos automóveis vendidos no Brasil são fabricados levando em consideração a mistura de 22% de etanol anidro na gasolina.

A nova medida aumenta ainda para 6% o percentual obrigatório de mistura do biodiesel ao diesel, que atualmente está em 5%. Um novo aumento também é previsto, de 7% a partir do dia 1º de novembro. Depois dessa data, o percentual de biodiesel no diesel poderá voltar para no máximo 6%, se o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) justificar o motivo.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!