Desenvolvidas para levar mais volume do que carga, as picapes compactas à venda no Brasil são utilizadas tanto para trabalhos pesados como para servir de transporte aos que simplesmente apreciam uma caçamba por um questão de estilo. O segmento, aliás, está bastante movimentado em 2011. De janeiro até o final de junho deste ano foram registrados 121.809 emplacamentos. É um número e tanto, levando em conta o volume total de vendas de automóveis, que já passa de 1,6 milhão.

Todas as opções disponíveis no mercado são fabricadas no Brasil. O modelo mais vendido é a Fiat Strada, que é também um dos veículos sempre presente no top 10 de vendas de carros no Brasil. A segunda colocada é a VW Saveiro, seguida pela geração mais recente da Chevrolet Montana. Por fim, os outros modelos, pela ordem de emplacamentos, são a Ford Courier e a Peugeot Hoggar. Conheça um pouco de cada uma das “picapinhas”:

Fiat Strada

A picape pequena da Fiat não é líder à toa. A Strada é disparada o modelo com mais versões distintas. São cinco modelos – Fire, Working, Trekking, Sporting e Adventure – com opções de cabine simples, estendida ou até dupla (é a única do ramo nessa configuração). Além disso, a camionete fabricada em Betim (MG) pode ser impulsionada pelo motor 1.4 Fire ou a dupla 1.6 e 1.8 da nova família E.torQ.

Fiat Strada Sporting
Divulgação

A Fiat tem Strada para todos os gostos. O modelo Sporting vem com personalização esportiva

O modelo mais simples, a Strada Fire, começa em R$ 31.690, ao passo que a série Adventure top de linha, parte de R$ 49.270. A diferença no preço é justificada pelos adereços visuais e equipamentos diferenciados do modelo mais caro, como o sistema Locker, que bloqueia o diferencial frontal para tirar o veículo de situações complicadas. Já a picape mais simples não empolga na parte estética, mas é a que leva mais carga na caçamba. Segundo a marca, o compartimento suporta 1.100 litros de volume de bagagem e carrega até 705 kg.

Nos últimos dois meses a picape da Fiat vem vendendo mais de 10.000 unidades por período. Somente no primeiro semestre deste ano a marca comercializou 58.681 unidades da Strada.

Volkswagen Saveiro

Assim como a Strada deriva do Palio, a Saveiro é uma versão do novo Gol. E tal como o modelo da Fiat, a mistura também deu certo para a Volkswagen, embora ainda esteja muito distante da picapinha número 1 do Brasil. Como todo VW moderno, a picape derivada do hatch também possui bom acerto de câmbio com o motor 1.6 8V, assim como o ajuste firme da suspensão, que faz dela uma das melhores do segmento quando o assunto é dirigibilidade. Já a capacidade de carga é razoável: leva 924 litros e suporta no máximo 715 kg do compartimento traseiro.

Volkswagen Saveiro
Divulgação

A Saveiro é vendida no Brasil em opções com cabine simples ou estendida. O modelo da foto é o de entrada

A Saveiro é oferecida nas versões 1.6 (a partir de R$ 32.960), Trooper (R$ 38.990), com visual urbano “descolado”, e Cross (R$ 46.670), que segue a moda off-road lançada no CrossFox. As duas primeiras versões da picape também podem ter cabine simples ou estendida. Já a série aventureira é vendida apenas com interior ampliado.

Apesar da distância em relação a Strada, o volume de vendas da Saveiro é bom. Em média foram emplacadas pouco mais de 6.000 unidades do utilitário por mês durante o primeiro semestre de 2011, o que levou o acumulado do produto a 35.347 exemplares em seis meses.

Chevrolet Montana

Antes derivada do Corsa, a segunda geração da Chevrolet Montana assumiu a parte frontal do Agile em 2010. É a terceira picape compacta mais vendida no Brasil – soma 21.435 emplacamentos em 2011 -, mas ainda não é um veículo muito comum pelas ruas. A GM oferece apenas duas versões do modelo no mercado brasileiro: LS, por R$ 32.105, e Sport, tabelada pela marca em R$ 44.091. Como as rivais, a opção de entrada, é um veículo destinado ao trabalho, enquanto o outro é um “carro com caçamba”, por assim dizer.

Chevrolet Montana
Divulgação

A segunda geração da Montana é o modelo mais recente no segmento. Caçamba aguenta até 758 kg

A Montana é impulsionada pelo motor 1.4 Econo.Flex que, apesar do tamanho, tem rendimento próximo a de um bloco 1.6 com seus 104 cv (com etanol). O modelo da Chevrolet também apresenta bons números de capacidade. Sua caçamba tem a maior capacidade volumétrica da categoria com para espaço para 1.180 litros. Já a carga máxima não pode passar de 758 kg, informa a GM.

Ford Courier

Substituta da veterana Pampa, a antiga picape da Ford derivada do Corcel II, a Courier é um dos “fósseis vivos” à venda no mercado brasileiro. O modelo chegou em 1995 importado da Espanha e no ano seguinte passou a ser fabricado em São Bernardo do Campo (SP). A primeira reestilização aconteceu em 2000 e a evolução do veículo no país parou por aí. E falamos de uma camionete pequena feita sob a base do Fiesta na quarta geração. O New Fiesta, por exemplo, é o sexto carro da linha lançada em 1976 na Europa, enquanto o hatch feito em Camaçari (BA) está na quinta linhagem.

Ford Courier
Divulgação

Sem substituto à vista, a Ford Courier não muda um fio de cabelo desde 2000

E a Ford ainda nem pensa em tirar a Courier de linha. O mais provável é que a picape saia de linha nos próximos anos sem ser substituída por carro algum. Essa postura da marca resulta no baixo volume de vendas do veículo, que entre janeiro e junho emplacou 3.527 unidades, não ficando nem perto das concorrentes da Fiat, VW e GM. Pela idade do projeto, até que os números do veículo agradam: a caçamba leva 1.030 litros de volume e 700 kg de carga.

Quem se lembra do Fiesta anterior sabe o quanto ele foi um carro bom e isso também vale para a Courier, que é vendida nas versões “mula de carga” L (R$ 32.460) e a opção XL (R$ 42.860) mais equipada e com adornos visuais complementares. As duas têm o motor 1.6 Rocam flex de até 109 cv.

Peugeot Hoggar

A primeira picape compacta da Peugeot ainda pena para buscar seu lugar ao sol no mercado brasileiro. Lançada em abril de 2010, somente em junho deste ano a Hoggar conseguiu pela primeira vez vender mais que a calejada Courier: foram 503 unidades do veículo da marca francesa contra 437 emplacamentos da rival da Ford. Apesar disso, o resultado do veículo ainda está muito longe da previsão inicial da marca para o produto, cuja intenção era vender 2.500 exemplares por mês e alcançar a fatia de 10% do segmento. Com apenas 2.819 modelos vendidos em 2011, a participação da empresa no ramo não passa de 2,3%.

Peugeot Hoggar
Divulgação

A versão X-Line de entrada da Hoggar é a mula de carga da Peugeot: leva até 1.151 litros

A Peugeot oferece a Hoggar em três versões – X-Line (R$ 31.400), XR (R$ 35.350) e Escapade (R$ 43.500) – sendo as duas primeiras apenas com motor 1.4 flex de até 82 cv, enquanto o modelo top de linha com visual aventureiro usa o bloco 1.6, também bicombustível, que gera 113 cv com etanol. A caçamba da picape tem espaço para até 1.151 litros, sendo 742 kg a carga máxima que o carro suporta transportar.

Thiago Vinholes

|

Veja mais notícias da marca