Jeep começa movimento para abandonar motores diesel

Futuro da marca está claramente centrado na eletrificação da gama
Tanto o Compass como o Renegade produzidos no Brasil contam com versões diesel

Tanto o Compass como o Renegade produzidos no Brasil contam com versões diesel | Imagem: Divulgação

Em uma estratégia que invariavelmente terá seus reflexos no Brasil no longo prazo, a Jeep começa a centrar seus esforços para abandonar motores diesel bem como os propulsores gasolina de maior deslocamento, como alguns V8 de seu portfólio.

Motivada pelas questões ambientais e também medidas de aceleração do fim de modelos a combustão propostas por países que integram a União Europeia, a tendência é que a Jeep enfatize o desenvolvimento de modelos com algum tipo ou que entreguem eletrificação total.

Eu acho que o motores a diesel na Europa vão desaparecer e a Europa sempre foi a raiz dos motores a diesel. Como resultado, está claro que as vendas de veículos a diesel serão consideravelmente reduzidas. Isso significa que nós vamos encerrar a oferta de motores desse tipo de uma hora para outra?

Não, eu acho que haverá um período de transição daqui até 2030 e ele vai variar muito entre cada mercado. Alguns países vão continuar oferecer motores V8, outros terão motores com 6 cilindros e outros ainda poderão permanecer com as opções diesel na gama”, revelou Christian Meunier, executivo da Stellantis responsável global pela marca Jeep, em entrevista ao Car Advice

Reflexos no Brasil?

Aqui no Brasil, vale destacar, tanto o Compass como o Renegade contam com versões diesel, as quais obtém boa participação de mercado, em especial no caso do SUV médio. 

Por aqui, somente o Compass e o Renegade quando equipados com motor diesel oferecem tração 4x4, importante argumento de venda. Provavelmente o 2.0 Multijet também será oferecido sob o capô do Commander, inédito modelo 7 lugares que a marca produzirá em Goiana (PE) e fará sua estreia até o fim deste semestre. 

Durante a entrevista, Meunier deixa claro que o futuro da Jeep é elétrico.  

Eu amo motores V8, mas amo a eletrificação ainda mais por ela resultar em mais aceleração, mais potência e mais torque em um pacote muito melhor e sem agredir o planeta. Então eu considero que é uma solução superior olhando para o longo prazo”, revelou o executivo. 

A Jeep, inclusive, anunciou recentemente que tem nos planos oferecer modelos 100% elétricos em todos os segmentos de SUVs que contam com atuação da marca. 

Aqui no Brasil, a eletrificação da gama Jeep começará com a linha de híbridos plug-in 4xe. Tanto o Compass 4xe quanto o Renegade 4xe estão confirmados para o Brasil, sendo que um deles deverá chegar ao país ainda em 2021.

Acima o motor 2.0 Multijet turbo diesel presente nas gamas Compass e Renegade
Acima o motor 2.0 Multijet turbo diesel presente nas gamas Compass e Renegade
Imagem: Divulgação