Nissan cria canal de vendas exclusivo para taxistas

Meta é aumentar participação nas vendas para esses clientes, além de melhorar o atendimento pós-venda

Nissan Livina táxi | Imagem: Divulgação

As quatro marcas tradicionais no Brasil – Fiat, Volkswagen, Chevrolet e Ford – não escondem que parte do seu alto volume de vendas vem das vendas para frotistas, sejam empresas, locadoras ou mesmo taxistas, que complementam a demanda vinda de clientes pessoa física.

Embora tenham margem mais estreita com eles, essas montadoras não abrem mão desses clientes a fim de ganhar na outra ponta, com a diluição de seus custos. Para as marcas novas, esse mercado é uma espécie de desafio e há casos em que uma tentativa aparentemente bem intecionada pode fracassar, como ocorreu com a Peugeot ao lançar a picape Hoggar. Sem histórico entre os consumidores que usam esse tipo de veículo, a marca viu seu modelo ser preterido em favor de rivais nem sempre atuais.

Com essa situação em mente, a Nissan quer aproveitar para manter a boa imagem entre os taxistas, que hoje respondem por uma boa parcela dos emplacamentos de modelos como a Livina. Os usuários do modelo agora contam com um canal direto de pós-venda batizado de “Nissan Táxi”. Nele, a marca busca oferecer serviços mais em conta, reboques mais ágeis e reposição mais rápida de peças.

Veja também: Toyota passa a vender Etios para taxistas

O programa também facilita a compra de unidades novas da Livina que, para os taxistas custa R$ 36.590 já calculadas as isenções e descontos da montadora. Por esse preço, a minivan vem com bancos de couro, câmbio automático, faróis de neblina, direção elétrica, ar condicionado digital, entre outros itens.

O programa está sendo implantando em São Paulo num primeiro momento. A cidade tem hoje a segunda maior frota de táxis do País, atrás apenas do Rio de Janeiro, onde esse tipo de transporte é mais utilizado, e a ideia é expandi-lo para outras localidades.