No Brasil, donos de carros da Ford devem migrar para a Chevrolet

Estudo mostrou o comportamento de consumidores da Ford no mercado de usados
Ford EcoSport 2020

Ford EcoSport 2020 | Imagem: Divulgação

A consultoria automotiva MegaDealer e a AutoAvaliar, plataforma online de vendas de veículos usados, revelaram nesta semana seu interessante estudo chamado Performance de Veículos Usados (PVU) relativo ao ano de 2020.

Entre os itens pesquisados pelas duas companhias, um deles merece destaque. Aproveitando o recente anúncio do fim da produção nacional da Ford, o estudo monitorou como se comportaram os donos de carros da marca na hora de trocar seus automóveis no ano passado.

De acordo com a métrica adotada no PVU, ao excluirmos a parcela de 40% de consumidores que se mostraram leais à marca, a Chevrolet foi a montadora escolhida pelos proprietários de modelos da Ford na hora de optar por um novo veículo.

O estudo aponta que 24% dos donos de carros usados da Ford optaram por um Chevrolet ao longo do ano passado, sinalizando que a marca da GM pode conquistar um bom número de consumidores nos próximos meses. Em segundo lugar, os donos de carros da Ford migraram para a Hyundai, com 15% da preferência, seguida por Fiat (14%), Volkswagen (13%), Toyota (8%) e Honda (6%).

Gráfico mostrando as preferências de donos de carros da Ford na hora de trocar seu veículo
Gráfico mostrando as preferências de donos de carros da Ford na hora de trocar seu veículo
Imagem: Divulgação

Resumo do mercado de usados em 2020 e perspectivas para 2021

Segundo os especialistas da MegaDealer e da AutoAvaliar, o mercado de veículos seminovos e usados no Brasil mostrou força diante das dificuldades causadas pela pandemia do novo coronavírus e conseguiu apresentar uma recuperação rápida a partir do segundo semestre de 2020. “O momento do mercado é positivo e isso sugere uma boa oportunidade para 2021. Cada vez mais o departamento de usados ganha relevância dentro das concessionárias. Então aqueles que conseguirem se estruturar neste setor, e trabalhar com uma estratégia focada, certamente terão bons resultados”, declarou Fabio Braga, country manager da MegaDealer no Brasil, em comunicado. 

As empresas apontam também que um dos índices que mais refletem as condições do mercado é o Giro de Estoque, que representa o período de dias entre a captação do usado e sua data de venda na concessionária. Em 2020, a média foi de 41 dias, inferior aos 48 dias de 2019, e vale destacar que em dezembro o giro de estoque médio foi de 26 dias, refletindo um mercado aquecido, mas ao mesmo tempo a falta de veículos usados. 

Outro detalhe interessante é que um dos reflexos da pandemia foi o aumento do preço dos veículos no Brasil, seja pela escassez de automóveis novos e usados, ou pela falta de insumos, que provocou paralisações nas linhas de produção de grandes montadoras. Desta maneira, o ticket médio do carro usado vendido em dezembro atingiu o maior valor anual, chegando a R$ 48.823. Em 2019, este índice apontava uma compra média de R$ 42.103. “Neste aspecto, é importante destacar ainda uma mudança de comportamento do consumidor, que, por conta da pandemia, passou a evitar o transporte público e procurar por carros mais completos, que oferecem mais conforto”, conclui Braga. 

Acima a linha 2020 de Ford Ka FreeStyle e Ford EcoSport FreeStyle
Acima a linha 2020 de Ford Ka FreeStyle e Ford EcoSport FreeStyle
Imagem: Divulgação
Assine a newsletter semanal do AUTOO!