Nova entidade quer liberar automóveis a diesel no Brasil

Aprove Diesel reúne empresas como Bosch, Delphi e Honeywell com o objetivo de acabar com a restrição aos carros de passeio que usam diesel, banidos desde 1976

Audi A6 com motor diesel TDI: economia e potência | Imagem: Divulgação

Não é nenhuma novidade que o Brasil é o país das ‘jabuticabas’. Seja ao permitir que um presidiário mantenha seu cargo de deputado federal ou quando, na contramão do mundo, proíbe o automóvel movido a diesel. Mas essa última situação pode acabar caso uma nova entidade apresentada nesta semana tenha sucesso em sua missão. A Aprove Diesel foi criada por alguns dos maiores fornecedores da indústria automobilística como Bosch e Delphi, com o objetivo de acabar com a restrição à venda de veículos de passeio com motores a diesel.

O argumento é irreparável: hoje o motor diesel é tão avançado que tornou os carros equipados com ele mais econômicos e menos poluentes que os que utilizam propulsores a gasolina. Não é à toa que sejam populares na Europa e tenham ganhado mercado inclusive nos Estados Unidos onde nem as gigantes picapes, o principal “veículo de passeio” do norte-americano, costumam se render aos seus encantos.

Mas por que o Brasil está desde 1976 proibido de abastecer seus carros com diesel? Tudo culpa da crise do petróleo da década de 1970. Sem combustível barato, o governo militar na época optou por reservar o diesel apenas para caminhões e ônibus a fim de não criar um problema logístico grave.

Veja também: Anfavea quer produzir híbridos e elétricos a partir de 2017

A questão é que de lá para cá muita coisa mudou. Embora ainda dependente do transporte rodoviário, o Brasil já não vive apenas de importações (78% na época da proibição). Segundo estudo da entidade, haverá excedente de diesel no futuro ao contrário da gasolina, cuja demanda será parecida com a produção.

Fumaça preta

Não é só pelo aspecto econômico que o diesel causa antipatia no Brasil. O combustível tem uma imagem associada à poluição, fumaça preta e ao barulho. No entanto, a realidade é bem diferente.

Os novos motores turbodiesel que equipam carros modernos na Europa utilizam tecnologias que reduzem significativamente o consumo a ponto deles conseguirem médias de 20 km com apenas um litro de diesel. Mesmo em relação à poluição, a Aprove Diesel garante que o combustível emite menos CO², o gás que mais causa o efeito estufa, além de hidrocarbonetos, óxido de nitrogênio e monóxido de carbono.

Outro mito do motor a diesel é o ruído, mas quem já viu ou usou um carro com esse motor na Europa sabe que o som não se compara aos barulhentos caminhões que temos no Brasil. O som do motor turbodiesel é mais encorpado, porém, em níveis sonores baixos.

A Aprove Diesel só não explicou ainda qual será sua estratégia para tentar alterar a legislação no Brasil, além de divulgar as vantagens do combustível.