Novo 208: entenda porque a Peugeot manteve o motor velho

Nova geração do hatch da marca francesa será fabricado na Argentina e, inicialmente, apenas o motor 1.6 16V será oferecido
Peugeot 208 2020

Peugeot 208 2020 | Imagem: Divulgação

A Peugeot já revelou a maior parte das informações para a nova geração do 208. O modelo será fabricado na Argentina e, por lá, o lançamento oficial ocorrerá em meados de agosto. As primeiras unidades devem chegar ao mercado brasileiro apenas em setembro, quando os preços e versões devem ser revelados.

Apesar de ter sido anunciado que a moderna versão elétrica e-208 estará disponível desde o lançamento, ficou um pouco de decepção pela confirmação de que, nesse primeiro momento, a Peugeot oferecerá apenas o motor 1.6 16V flex da família EC5 que está em uso desde os tempos do antigo 206. Ele é capaz de entregar até 118 cv de potência e 16,1 kgfm de torque e deverá ser acoplado a uma transmissão manual de cinco marchas ou a uma caixa automática de seis velocidades.

De acordo com a Peugeot, a escolha pela manutenção do motor antigo estaria pautada simplesmente pelo contexto econômico atual. Com a cotação do dólar em disparada, trazer os novos motores 1.2 turbo de três cilindros para equipar 208 renovado por aqui sairia caro demais, uma vez que estes propulsores são fabricados apenas na Hungria. Quanto ao 1.6 THP usado no atual 208 GT, o veterano turbinado não coube no cofre da nova geração por conta da curvatura do capô.

No entanto, isso não quer dizer que o uso desses novos motores esteja completamente descartado. Segundo o Argentina Autoblog, durante uma apresentação breve da nova geração do 208 para a mídia daquele país com unidades de pré-série, a Peugeot confirmou que ainda está estudando a possibilidade de fabricar os novos 1.2 turbo localmente, o que baratearia seus custos.

Detalhe do Peugeot 208 vendido na Europa
Detalhe do Peugeot 208 vendido na Europa
Imagem: Divulgação