Novo crash-test reprova Audi, BMW e Mercedes-Benz nos EUA

Ensaio criado pelo IIHS simula os efeitos de colisões em árvores e postes a 64 km/h

O novo teste mostra falhas graves nos carros | Imagem: IIHS

Os engenheiros do Insurance Institute for Highway Safety (IIHS), a maior instituição de segurança veicular nos Estados Unidos, criaram uma nova metodologia de crash-tests que está dando arrepios nas montadoras, incluindo alguns medalhões da indústria. O novo teste do órgão consiste em colidir a parte frontal do veículo contra um objetos fixo menores, simulando os efeitos de uma batida contra um poste ou árvore.

Para Adrian Lund, presidente do IIHS, os resultados dos testes mostram “falhas graves” das montadoras, que “projetam a segurança baseado apenas nos testes de avaliação”.

De uma só vez, o “teste surpresa” (os carros aceleram até 64 km/h antes de baterem) deixou um carimbo vermelho nas fichas do Mercedes-Benz Classe C, Audi A4 e o trio da LexusIS250, IS300 e ES350. No pelotão do meio, com a marcação “razoável”, aparecem BMW Série 3, Volkswagen CC, Acura TSX e Lincoln MKZ. Já sedã Infiniti G, da bandeira de luxo da Nissan, bateu na trave e ganhou um “aceitável”.

Apenas dois carros, dos 11 avaliados, conseguiram o que a IIHS considerou um “bom resultado”: Volvo S60 e o Acura TL, sedã médio da marca de luxo da Honda. “A Volvo antecipou esse tipo de acidente no projeto do S60. Nesse tipo de colisão a deformação do chassi é programada para amassar em direção ao centro do motor, protegendo o habitáculo com os ocupantes”, analisa Lund, no vídeo de demonstração dos ensaios.

O novo teste também mostra que os airbags, mesmo estourando, podem não ser eficientes na proteção dos ocupantes durante a batida. No Lincoln MKZ, da divisão de luxo da Ford, a cabeça do dummie (o boneco de testes com sensores) simplesmente passou ao lado da bolsa inflada, em direção a coluna. “No S60 o airbag estoura em direção ao motorista, e não o contrário, por isso protege melhor”, compara o diretor da IIHS, mais uma vez citando o carro da Volvo.

Segundo a instituição, o novo teste foi iniciado com sedãs médios de luxo pois essa é uma das categorias que mais recebem investimentos em segurança. Com os resultados, principalmente os negativos, o órgão espera que as fabricantes desenvolvam novos recursos para aumentar a proteção dos ocupantes. As fichas dos carros avaliados podem ser conferidas no website do IIHS.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!