Novo Passat é outro que aparece primeiro na China

Sedã da Volkswagen ganhará linhas mais marcantes, mas estreia oficial deve ficar para o Salão de Paris

Volkswage Passat 2015 (China) | Imagem: Reprodução

Depois de a Chevrolet escolher a China para mostrar o novo Cruze em primeira mão, a Volkswagen foi flagrada testando a nova geração do Passat justamente no mesmo país. Mas se o Cruze é um carro global, o sedã da VW sempre foi mais ‘europeu’, o que prova a importância que a Ásia tem hoje entre as fabricantes de veículos.

Apesar da aparição inesperada, o Passat 2015 só deverá ser apresentado oficialmente no Salão de Paris, em outubro. Mais uma vez, a Volkswagen seguiu à risca sua filosofia de linhas discretas e semelhantes entre seus modelos.

As imagens, mesmo de baixa qualidade, revelam que o sedã terá vincos mais marcantes nas laterais, mas lanternas e faróis bem parecidos com os do atual modelo. É como se a marca resolvesse desenhar o carro com os mesmos elementos da geração anterior.

O interior, assim como o exterior, mantém várias marcas conhecidas do carro, como o console central largo, que possui a manopla de câmbio centralizada, com vários botões em volta, inclusive o de partida. A maior novidade são as saídas de ar horizontais que se escondem num enorme friso que via do painel de instrumentos até perto da porta direita. A tela da central multimídia parece ter um tamanho avantajado, mas funções parecidas com as de outros modelos usados hoje.

Entre os mais vendidos da VW

O Passat, que na China é chamado de Magotan, é um dos modelos mais vendidos da Volkswagen no mundo. E até nos Estados Unidos passou a ter uma presença mais marcante após a marca criar uma versão exclusiva para esse mercado, maior e menos sofisticada que a europeia. No Brasil, que um dia já abrigou uma linha de montagem da primeira geração, o Passat tem carreira discreta, ofuscada pelo Fusion e pelos sedãs coreanos, mais baratos.