Opinião: as lições que tiramos do recall do Chevrolet Onix Plus

Campanha foi um grande teste para a Chevrolet no Brasil
Chevrolet Onix Plus 2020

Chevrolet Onix Plus 2020 | Imagem: Divulgação

Bem de consumo caro e que exige um sacrifício financeiro para muitos consumidores, a aquisição de um automóvel está longe de ser algo simples. Além do cuidado com o orçamento, é preciso calma e paciência para encontrar, entre tantas opções no mercado, aquela que melhor atende os diferentes gostos e necessidades dos mais variados consumidores. 

Porém, como qualquer máquina, um automóvel não está imune a eventuais falhas mecânicas. Algumas questões só vêm à tona na medida em que o uso inclemente nas ruas, o verdadeiro teste final para qualquer carro, vai se intensificando. Um grande exemplo recente foi o que ocorreu com o Chevrolet Onix Plus. Do episódio, também tiramos uma lição preciosa sobre como uma fabricante deve lidar com falhas deste tipo, bem como o modo de relacionamento que deve ser estabelecido com seus consumidores, como veremos adiante. 

Recém-lançado, o Onix Plus tornou-se logo de cara um sucesso de público e crítica. Bem avaliado nos testes da imprensa especializada graças à boa combinação do custo-benefício agressivo com um conjunto motor e câmbio eficiente, tudo colaborou para que vários consumidores optassem pelo sedan compacto sucessor do Prisma.

Enquanto as primeiras unidades do Onix Plus ainda estavam sendo emplacadas, um incêndio em uma unidade do modelo no pátio da fábrica de Gravataí (RS) começou a ser o assunto da vez em sites e mídias sociais. A Chevrolet, à época, optou por não comentar o assunto.

Algumas semanas depois, um relato muito mais grave ocorreu. O dono de um Onix Plus recém-adquirido na região Nordeste viu seu carro ser consumido em chamas enquanto trafegava por uma estrada da região, desencadeando um grave alarme na fabricante norte-americana.

Em uma carta da General Motors América do Sul aos seus concessionários brasileiros, documento ao qual o Argentina Autoblog teve acesso, é possível encontrar mais informações sobre o desenrolar do caso na sede da fabricante, em São Caetano do Sul (SP).

A fabricante mandou engenheiros rapidamente ao local para realizar um verdadeiro trabalho de investigação, incluindo também uma inspeção ao que restou do veículo atingido pelo incêndio. Foi então que a explicação para o problema emergiu: sob condições muito específicas de temperatura, qualidade do combustível, entre outras questões, o software de gerenciamento do motor poderia desencadear um superaquecimento do propulsor e, por consequência, um vazamento de óleo na região. Por estar muito acima da temperatura recomendada, o líquido poderia começar o incêndio ou, em alguns casos, levar à quebra de componentes do motor. 

O ponto muito positivo dessa história toda foi a prontidão da Chevrolet em resolver o problema assim que foi constatado, evitando o risco de alguma ocorrência que poderia até ser fatal.

Em uma medida drástica – porém necessária –, a Chevrolet promoveu algo que até então raramente havia sido visto no Brasil. A empresa determinou não só a paralisação das vendas do Onix Plus até a resolução do problema, como também mandou recolher todas as unidades que já estavam em circulação, enviando-as de volta às concessionárias. A decisão envolveu cerca de sete mil carros já emplacados.

Claro que isso pode ter frustrado alguns clientes que haviam acabado de receber o Onix Plus e ainda estavam “namorando” seus automóveis, mas a Chevrolet foi prudente ao minimizar os transtornos causados, oferecendo um automóvel reserva pelo tempo que fosse necessário até que a atualização do software estivesse concluída.

Segundo relata a carta de Carlos Zarlenga, presidente da GM na região, o contato com os clientes começou no último dia 6 e, um dia depois, cerca de 80% dos donos de Onix Plus já haviam sido informados das medidas tomadas pela marca, com 34% dos carros recolhidos. Uma iniciativa quase sem precedentes em nosso país.

A partir do dia 7 deste mês, a atualização do software ficou pronta e começou a ser distribuída logo depois aos concessionários, sendo que alguns donos do sedan já relatam nas redes sociais que o trabalho foi realizado.

Claro que nenhuma empresa e, certamente, muito menos os consumidores, gostariam de efetuar algum recall ou ver seus produtos passando por este tipo de procedimento, mas, justiça seja feita, a Chevrolet soube agir com muito zelo junto aos seus consumidores e as autoridades competentes, encarando de frente um problema que simplesmente não pode ser ignorado.

A atitude recente da marca no Brasil prova que, de fato, seu compromisso com a segurança dos clientes, como assinalado na carta de Zarlenga aos concessionários brasileiros, mostra-se algo verdadeiramente tangível e não apenas um discurso de marketing. Uma evolução e tanto para uma marca que, há alguns anos, comercializava o Onix de primeira geração com sérias restrições envolvendo a integridade veicular em caso de acidentes. 

Em resumo, além de mexer consideravelmente com o segmento de hatches e sedans compactos no Brasil ao lançar os novos Onix e Onix Plus no mercado com um custo-benefício arrojado, a Chevrolet pode consolidar uma nova fase no relacionamento entre clientes e montadoras. Vamos torcer para que nenhum outro automóvel no mercado passe pelos mesmos problemas do Onix Plus, mas, caso isso ocorra, que os consumidores sejam tão bem amparados como vimos recentemente. 

Acima os novos Chevrolet Onix e Onix Plus 2020
Acima os novos Chevrolet Onix e Onix Plus 2020
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!