Opinião: em 2021, onda de novos SUVs tende a ameaçar sedãs médios

Lançamentos na categoria do Jeep Compass devem provocar uma migração de consumidores de sedãs para os SUVs
Honda Civic 2019

Honda Civic 2019 | Imagem: Divulgação

É fato que os sedãs são os bravos guerreiros quando se trata de fazer frente ao avanço dos SUVs no mercado. No segmento premium, apenas como exemplo, Mercedes-Benz Classe C e BMW Série 3 seguem com uma relevância enorme para as respectivas marcas alemãs. Aqui no Brasil, por sua vez, modelos como o Chevrolet Onix Plus mostram que os três volumes compactos ainda têm uma demanda cativa.

Avançando para 2021, vale a pena ficarmos de olho em tudo o que ocorrerá especificamente com o segmento de sedãs médios. A categoria verá surgir no ano que vem alguns utilitários esportivos que prometem fazer balançar as cabeças e os bolsos de quem hoje só tem olhos para os três volumes.

Estamos falando em especial do Volkswagen Taos e do Toyota Corolla Cross, modelo que, não por acaso, empresa o nome de peso do sedã para fazer sucesso entre os utilitários esportivos.

Com tamanho, espaço interno e porta-malas superiores em relação aos SUVs compactos, Taos e Corolla Cross deverão oferecer atributos capazes de convencer os atuais donos de sedãs médios a dar uma chance para os utilitários esportivos.

Pelo que já foi dito dos dois modelos em avaliações no exterior, tanto o VW como o Toyota contam com cabines amplas e espaçosas para cinco passageiros, além de porta-malas generosos, superando a casa dos 400 litros, o que certamente facilita o uso familiar.

Além de oferecer bom pacote de tecnologia e conjunto mecânicos modernos e eficientes, os novos Corolla Cross e Taos deverão oferecer versões competitivas na faixa dos R$ 130 mil a R$ 150 mil, valor que hoje corresponde aos catálogos mais procurados dos sedãs médios, como ocorre com o Toyota Corolla XEi (R$ 126.590). Não por acaso, boa parte das vendas do Jeep Compass reside no catálogo intermediário Longitude, que custa R$ 144.590 com motorização 2.0 flex. 

Apesar de entrar para a história como um ano atípico, já é possível constatar em 2020 uma retração acentuada nas vendas de sedãs médios, um possível aviso da migração dos seus consumidores para outras categorias.

Se compararmos o volume de vendas acumulado entre janeiro e novembro deste ano com o mesmo período de 2019, notamos que os emplacamentos do Toyota Corolla caíram 30%, com o Honda Civic registrando a mesma perda (29,4%). São números que acompanham a queda do mercado (28,6%) neste ano.

Curioso destacar que, na mesma relação anual, o Jeep Compass viu suas vendas caírem apenas 15,6%, portanto o SUV foi bem menos abalado do que os sedãs. O Chevrolet Cruze, por sua vez, foi o mais impactado. As vendas do sedã produzido na Argentina sofreram uma abrupta queda de 47% em relação ao ano passado tomando como base o mesmo período de onze meses.

Logo, é natural que as fabricantes considerem uma expansão da oferta de SUVs com diferentes tamanhos e propostas para atender a um público com necessidades e aspirações diversas na hora de escolher um carro. O fato de até mesmo o Toyota Corolla sofrer com a nova orientação dos consumidores quando se trata da escolha do próximo automóvel certamente sinaliza que uma migração maciça está ocorrendo em direção aos utilitários esportivos.

A previsão é que o Volkswagen Taos chegue ao mercado no segundo trimestre de 2021, mesma época em que o Toyota Corolla Cross deverá figurar na rede de concessionárias da marca. A partir desse período, será interessante constatar qual será o direcionamento de compra dos consumidores e como ficará a participação dos sedãs médios. Taos e Corolla Cross serão mais procurados do que Corolla, Civic e Cruze? A tendência é que sim e muitas fabricantes inclusive estão apostando nessa tendência.

Como o Autoo apurou com exclusividade, a Honda deverá descontinuar a produção nacional do Civic para abrir espaço para modelos de maior volume. A perspectiva, inclusive, é que o HR-V cresça na próxima geração para se tornar um rival pleno do Corolla Cross, abrindo espaço na linha a um futuro SUV compacto na gama Honda.

Por fim, ainda é importante lembrar que na primeira metade de 2021 o Jeep Compass deverá ganhar um salto em eficiência com a chegada da nova família de motores turbo com injeção direta na gama, o que vai tornar o líder de mercado ainda mais desafiador frente aos concorrentes. Sem dúvida, os próximos meses prometem entre os modelos de médio porte, sejam eles SUVs ou sedãs. Vamos acompanhar de perto!

Honda Civic 2019

Honda Civic 2019

Um dos raros sedãs médios com opção de câmbio manual, quase todo o volume vendido do Civic conta com transmissão automática

Um dos raros sedãs médios com opção de câmbio manual, quase todo o volume vendido do Civic conta com transmissão automática

Novo Taos circulando no Brasil: foto antecipa a possível versão de entrada do modelo?

Novo Taos circulando no Brasil: foto antecipa a possível versão de entrada do modelo?

Assine a newsletter semanal do AUTOO!