O primeiro semestre de 2019 terminou com uma sensação de vitória amarga. As vendas cresceram em relação à 2018, mas calçadas no atacado, onde se praticam negociações nem sempre vantajosas para as montadoras.

Não é à toa que os automóveis que mais cresceram este ano sejam quase todos modelos com ampla participação nas vendas diretas e pertencentes às marcas que mais atuaram nesse segmento.

Mas tivemos exceções como o sedan Jetta que, renovado, teve uma ótima aceitação no Brasil, em que pese o volume baixo dessa categoria. Confira a seguir quem mais cresceu no primeiro semestre.

1º Volkswagen Jetta – 5.833 unidades (155,8%)

A nova geração do sedan médio da Volkswagen cresceu, ficou mais sofisticado e mais caro, mas nem isso afastou clientes. Pelo contrário, as vendas mais que duplicaram em 2019, atingindo uma média próxima a mil unidades. Parece pouco se comparado ao líder Corolla, mas trata-se de um carro mexicano e que não tem a mesma facilidade para chegar às lojas. Além disso, tem poucas versões e nenhuma delas brigando no andar de baixo da categoria.

2º Fiat Uno – 9.583 unidades (101,3%)

Não há dúvida que o Uno é um bom produto da Fiat, basta ver o seu longo histórico no mercado. Mas a marca havia optado por tornar o menor e pior Mobi seu carro de entrada e com isso sacrificou o irmão mais velho. Como? Reduzindo suas versões e cobrando caro por ele. Mas felizmente neste ano, o Uno voltou a ficar mais competitivo e contar com mais versões como a Way e com isso as vendas dobraram. Claro, nada que faça sombra ao seu passado, mas ainda assim há o que comemorar.

Fiat Uno 2018
Fiat Uno 2018
Imagem: Divulgação

3º Renault Duster – 13.013 unidades (54,9%)

O Duster é o primeiro de três modelos da Renault que tiveram um aumento nas vendas bem acima da média. Mas o velho SUV contou com as vendas diretas para chegar lá além de configurações um pouco mais viáveis graças ao motor 1.6 Sce e o câmbio CVT. Essa combinação ajudou o modelo a crescer quase 55% este ano.

4º Jeep Renegade – 33.052 unidades (54,2%)

O Renegade conseguiu pela primeira vez tornar-se líder do cobiçado segmento dos SUVs compactos, mas não foi pela sua beleza, tecnologia ou versatilidade. A explicação está no imenso número de unidades emplacadas no atacado. Para se ter uma ideia disso, basta dizer que o Jeep é o 3º automóvel mais vendido do país nas vendas diretas, atrás do Onix e do Gol. Nada menos que 70% das suas vendas foram feitas dessa forma, evidenciando uma manobra da FCA para desovar o modelo no mercado. Seus rivais, como a Honda, que não fazem uso desse expediente, tiveram desempenhos mais tímidos, o que deixa claro que se trata de uma estratégia arriscada.

5º Renault Captur – 13.785 unidades (47,5%)

Assim como o Duster, também o Captur ampliou suas vendas de modo significativo e aqui principalmente por conta do mercado PCD. Após oferecer uma versão para esse público, o Captur enfim passou a ter uma demanda mais robusta, porém, ainda distante dos seus concorrentes.

6º Renault Kwid – 40.524 unidades (36,5%)

Fato raro no Brasil, o Kwid é um subcompacto, ou seja, carros com espaço para quatro ocupantes (embora homologado para cinco), mas que vende bem, ao contrário do Mobi e do up!. Em 2019, a Renault elevou mais ainda sua participação com o modelo, que usou sua associação com o segmento de SUVs para convencer o público a comprá-lo. Mas, ao contrário de seus irmãos, o Kwid tem uma pequena parte das suas vendas no atacado, o que denota sua boa aceitação.

7º Ford Ka Sedan – 22.887 unidades (35,1%)

Eis aqui um carro que ampliou suas vendas, mas não por uma boa razão. O Ka Sedan figurava como o 5º sedan compacto mais vendido do Brasil em 2017, mas desde o ano passado a Ford tem apelado para as vendas diretas para emplacá-lo. Hoje ele é o vice-líder da categoria, porém, depende demais do atacado para chegar a essa posição: nada menos que 66% das vendas são diretas, aproveitando a demanda de motoristas de aplicativos de transporte.

8º Chevrolet Onix – 116.911 unidades (30,4%)

O líder de vendas no Brasil também tem apresentado um crescimento incomum de mais de 30% em 2019. E justamente no ano em que chegará ao mercado uma nova geração. Como se sabe, o Onix também é o veículo mais vendido no atacado no Brasil, com 52 mil unidades no primeiro semestre. É bem mais que a Strada, a líder entre os utilitários leves (34 mil) e quase o mesmo que vende o HB20 como um todo. Não é por outra razão que a Chevrolet reclama de prejuízos no Brasil, afinal essa estratégia, a despeito de gerar volume, acaba com qualquer margem de lucro.

Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Imagem: Divulgação

9º Volkswagen Virtus – 21.965 unidades (29,7%)

O crescimento do Virtus, novo sedan compacto da Volkswagen, contou com uma pequena ajuda do fato de o modelo ter estreado no ano passado e emplacado algumas unidades em janeiro, portanto, cumprindo os critérios de Autoo para fazer parte da lista (ter participado do mercado em todo o primeiro semestre do ano passado). Apesar disso, o Virtus começou 2019 em alta de quase 30%, um desempenho muito bom para mais um veículo da VW que não é barato. Mas também ele bebeu na fonte do atacado, com 40% dos emplacamentos provenientes das vendas diretas.

10º Fiat Argo – 36.214 unidades (29,4%)

Embora 36% das suas vendas tenham se originado no atacado, o Argo cresceu também no varejo. É um reflexo da mudança de foco da Fiat, que desistiu de fazê-lo brigar com Polo e Yaris pelo segmento premium e tornou o Argo um carro mais apto a disputar mercado com o Onix. Por isso, o modelo ganhou versões mais “peladas” e que respondem pela maior fatia das vendas. O resultado disso é que o Fiat é hoje o 8º veículo mais emplacado do país. Longe dos tempos do antecessor Palio, mas bem melhor que o “popular” Mobi.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/