Os carros que prometeram, mas não entregaram

AUTOO selecionou 10 modelos que chegaram ao mercado com boa expectativa de vendas, porém, acabaram deixando a desejar

O mercado brasileiro pode ser cruel com os carros | Imagem: AUTOO

Não é fácil vender carros, seja na Europa, China ou no Brasil. É um mercado que envolve tradição, emoção, benefícios, custos, realizações pessoais, sonhos... Por mais que se planeje, pesquise e se divulgue, transformar um automóvel em sucesso às vezes é uma tarefa impossível.

Muitos carros fracassam no mercado nacional e os motivos são variados. Alguns não cumprem o que a fabricante promete, outros não têm tradição onde atuam ou, em alguns casos, eles não vendem bem pelo simples fato de não despertarem o interesse do consumidor, seja pelo visual apagado ou pela percepção de falta de qualidade.

Nem sempre, no entanto, esses produtos são ruins. Alguns chegam ao mercado na hora errada, já outros encontram uma concorrência feroz e não têm chance alguma de vingar.

Tudo isso faz parte do jogo e cabe às fabricantes tentar reverter uma possível injustiça. Mudar um produto no meio da sua vida pode funcionar se esse modelo mostra potencial. Talvez o caso mais famoso no Brasil seja o do Gol. O carro mais vendido do Brasil já foi patinho feio logo após ser lançado, em 1980. Tinha um design apagado, motor a ar derivado da Brasília e pouco vendeu no início da sua carreira. A Volkswagen, no entanto, soube virar o jogo, identificar suas fraquezas e destacar suas qualidades e hoje colhe os frutos da sua persistência.

Pode ser que isso ocorra com alguns dos 10 modelos que o AUTOO selecionou na lista a seguir. Em comum, eles entregaram menos do que se esperava deles. Parte deles já não tem mais esperanças porque estão saindo de cena, mas há quem possa ressurgir caso sua montadora saiba como corrigir sua rota. Confira.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!